Mais quatro casos registados nos Açores e uma morte

2 de Maio 2020

A Autoridade de Saúde Regional dos Açores informou hoje que foram diagnosticados mais quatro casos positivos de covid-19 na ilha de São Miguel e uma morte no Hospital do Divino Espírito Santo, de Ponta Delgada.

Segundo o comunicado da Autoridade de Saúde, tratam-se de três mulheres com idades entre 85 e 97 anos, e um homem, de 92 anos, todos institucionalizados no lar de idosos da Santa Casa da Misericórdia do Nordeste.

Para além da morte de uma utente de 93 anos de idade, internada no Hospital do Divino Espírito Santo, de Ponta Delgada, registam-se três casos de recuperação de infeção: duas mulheres, de 77 e 88 anos, ambas residentes na ilha de São Miguel; e um homem, de 51 anos, residente na ilha Terceira.

Com base nestes novos dados, até ao momento já foram detetados na região 142 casos, verificando-se 48 recuperados, 14 óbitos e 80 casos positivos ativos para infeção, sendo 61 em São Miguel, dois na ilha Terceira, cinco na Graciosa, dois em São Jorge, cinco no Pico e cinco no Faial.

Os Açores não registavam há oito dias novos casos de covid-19.

Portugal contabiliza 1.007 mortos associados à covid-19 em 25.351 casos confirmados de infeção, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia divulgado hoje.

Relativamente ao dia anterior, há mais 18 mortos (+1,8%) e mais 306 casos de infeção (+1,2%).

Das pessoas infetadas, 892 estão hospitalizadas, das quais 154 em unidades de cuidados intensivos, e o número de casos recuperados passou de 1.519 para 1.647.

Portugal vai terminar no sábado, 02 de maio, o terceiro período de 15 dias de estado de emergência, iniciado em 19 de março, e o Governo anunciou a passagem para situação de calamidade a partir das 00:00 de 03 de maio.

Lusa/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Luís Montenegro: “Concordo com a necessidade de valorizar a carreira dos bombeiros e estamos a trabalhar nisso”

Hoje, no debate sobre o estado da nação, o primeiro-ministro respondeu a Inês Sousa Real que concorda que é necessário valorizar a carreira dos bombeiros, mas o Governo está “a trabalhar nisso”, e garantiu que não está desatento à violência doméstica, tendo já avançado com um despacho para a criação de um grupo de trabalho “transversal” no âmbito do apoio à vítima.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights