Feira semanal de Vila do Conde reabre a partir de sexta-feira

20 de Maio 2020

A Câmara de Vila do Conde anunciou hoje que a feira semanal vai reabrir a partir desta sexta-feira, com obrigação de utilização de máscara para todos os comerciantes e consumidores e limitação de acesso ao local.

A autarquia determinou que o acesso ao espaço será limitado, de forma a se cumprir as regras de distanciamento social, e recomendou a desinfeção das mãos a todos os que frequentem a feira.

A entrada no recinto será feita apenas por uma via, ficando também determinado que os feirantes estão isentos do pagamento da taxa de ocupação até 30 de junho.

As mesmas regras de segurança impostas para evitar a propagação da covid-19 serão aplicadas ao Mercado de Rural, que volta a ser realizado a partir deste sábado.

Ainda no âmbito do plano de desconfinamento que está a ser implementado no concelho, a autarquia vila-condense permitiu, desde esta semana, a abertura de vários equipamentos públicos.

Os museus municipais, o centro de memória, a loja interativa e posto de Turismo, os parques de jogos e de lazer, assim como os equipamentos desportivos da marginal, já estão disponíveis para serem utilizados pela população.

Em sentido inverso, continuam encerrados, por tempo indeterminado, os pavilhões e piscinas municipais, os abrigos dos pescadores, o albergue de peregrinos de Santa Clara, assim como o centro de juventude, o teatro e o auditório municipal.

A Câmara determinou, ainda, a autorização para a ampliação, até 50 %, das esplanadas de estabelecimentos de restauração e bebidas, e também vai permitir a instalação destas infraestruturas em praças, largos e pracetas onde, atualmente, essa ocupação não estava autorizada.

Em ambos os casos, será preciso um requerimento e apreciação da autarquia, sendo este regime excecional limitado até ao dia 30 de setembro.

Em Portugal, morreram 1.247 pessoas das 29.432 confirmadas como infetadas, e há 6.431 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

No concelho de Vila do Conde há registo, até terça-feira, de 287 pessoas infetadas.

Esta nova fase de combate à covid-19 prevê o confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigilância ativa, o dever geral de recolhimento domiciliário e o uso obrigatório de máscaras ou viseiras em transportes públicos, serviços de atendimento ao público, escolas e estabelecimentos comerciais.

O Governo aprovou novas medidas que entraram em vigor na segunda-feira, entre as quais a retoma das visitas aos utentes dos lares de idosos, a reabertura das creches, aulas presenciais para os 11.º e 12.º anos e a reabertura de algumas lojas de rua, cafés, restaurantes, museus, monumentos e palácios.

O regresso das cerimónias religiosas comunitárias está previsto para 30 de maio e a abertura das praias para 06 de junho.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Limitações nas urgências por região

A Direção Executiva do Serviço Nacional de Saúde divulgou hoje um novo plano de reorganização das urgências, que indica que 39 pontos vão funcionar com limitações nalgumas especialidades entre os dias 03 e 09 de dezembro.

Greve dos pilotos de helicópteros do INEM regista 83% de adesão

A greve dos pilotos de helicópteros do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) registou 83% de adesão disse hoje o Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC), sublinhando que os serviços mínimos decretados não foram plenamente cumpridos.

Cabo Verde quer comunidades a liderar luta contra a Sida

Cabo Verde quer reforçar a prevenção, diagnóstico, comunicação e informação e ter as comunidades a liderar a luta contra o VIH-Sida, cuja taxa de prevalência mantêm-se nos 0,6%, com média de 400 casos anuais, disseram hoje fontes oficiais

Lançado hoje 1º episódio da série documental: “SIDA 4.0 Os anos do medo, da discriminação, do estigma e da inovação

Temas como o Aparecimento do Vírus, o Estigma e a Discriminação; O Peso das Drogas na Sociedade Portuguesa; VIH-2 e a Cooperação com os PALOP; PrEP – A Revolução na Prevenção e Para Quando a Cura, vão ser analisados por diferentes intervenientes, tendo em atenção os 40 anos sobre a infeção VIH e a Sida e das mudanças que ela trouxe à sociedade em geral e aos portugueses em particular.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights