Em comunicado, o ministro da Saúde, Gerg Hunt, disse que a aplicação está desempenhar um papel importante na resposta da Austrália à pandemia e que vários países demonstraram interesse no resultado do dispositivo.

“A Austrália continua a ser líder mundial em testes, rastreamento e contenção do coronavírus. Eu incentivaria todos os australianos a contribuir com esse esforço e descarregar o aplicativo COVIDSafe hoje”, apontou o ministro no comunicado.

A aplicação foi lançado em 26 de abril, coincidindo com a decisão da Austrália de relaxar as medidas para conter a propagação da pandemia após conter a propagação.

A aplicação COVIDSafe utiliza o Bluetooth para procurar outros telefones que também tenham o aplicativo instalado e, em seguida, executa com segurança um “handshake digital”, que regista a data, hora, distância e duração do contacto.

O COVIDSafe, que armazena informações durante 21 dias – período máximo de incubação do vírus – é usado como uma ferramenta para simplificar o processo de identificação de contactos depois de uma pessoa testar positivo.

Após o registo de um contágio, os profissionais de saúde pública podem localizar, com o consentimento da pessoa, todos aqueles que estiveram com o seu aplicativo ativados a aproximadamente 1,5 metros dele durante 15 minutos ou mais.

Outros países como Singapura também usam esse sistema, enquanto na China ou na Coreia do Sul um método de rastreamento baseado no geolocalizador GPS.

Com cerca de 7.106 casos, incluindo 102 mortes, a Austrália começou a relaxar gradualmente as medidas para conter a propagação da pandemia, com vistas a uma normalização completa da atividade económica em julho.

LUSA/HN

Share This