Bastonário dos Médicos diz que Amadora-Sintra “já ultrapassou o limite da sua capacidade”

30 de Junho 2020

O bastonário da Ordem dos Médicos afirmou esta terça-feira que o hospital Amadora-Sintra “já ultrapassou o limite da sua capacidade” e que teve de transferir 50 doentes com a Covid-19 para outras unidades de saúde.

“A pressão no hospital é muito grande. O hospital Amadora-Sintra já é um hospital que habitualmente já tem problemas porque está dimensionado para uma população que é muito menor daquela que tem na realidade”, disse aos jornalistas Miguel Guimarães, no final de uma visita àquela unidade de saúde do distrito de Lisboa.

Segundo referiu o bastonário, neste momento no hospital Amadora-Sintra (Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca) estão internados entre 60 a 70 doentes infetados com Covid-19, dos quais oito estão em cuidados intensivos.

“Se em tempo normal este hospital já tinha muitas dificuldades, nomeadamente a nível de serviço de urgência, de internamento e a nível dos cuidados intensivos, é evidente que em tempo de pandemia esta situação se agravou”, apontou.

Miguel Guimarães alertou ainda para o facto de “muitos doentes” não Covid-19 estarem a “ficar para trás” e defendeu a necessidade de serem contratados mais profissionais de saúde.

“Nós precisamos de mais médicos e de enfermeiros. É uma informação que já chegou à senhora ministra e à senhora diretora-geral da Saúde e é fundamental que isso aconteça rapidamente”, sublinhou.

Relativamente à transferência de doentes que tem ocorrido daquele hospital para outros, nomeadamente para o Hospital de Santarém, Miguel Guimarães considerou tratar-se de uma situação natural.

“A transferência de doentes é sempre uma solução para ajudar. Os hospitais de Lisboa e da Grande Lisboa têm de se ajudar uns aos outros”, ressalvou.

O Hospital de Santarém recebeu quatro pessoas infetadas com Covid-19 provenientes do Hospital Amadora-Sintra, que tem evidenciado “falta de capacidade” para admitir novos doentes, segundo revelou na segunda-feira à agência Lusa o diretor clínico da unidade hospitalar ribatejana.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 505.500 mortos e infetou mais de 10,32 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.576 pessoas das 42.141 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Luís Montenegro: “Concordo com a necessidade de valorizar a carreira dos bombeiros e estamos a trabalhar nisso”

Hoje, no debate sobre o estado da nação, o primeiro-ministro respondeu a Inês Sousa Real que concorda que é necessário valorizar a carreira dos bombeiros, mas o Governo está “a trabalhar nisso”, e garantiu que não está desatento à violência doméstica, tendo já avançado com um despacho para a criação de um grupo de trabalho “transversal” no âmbito do apoio à vítima.

Utentes do Médio Tejo elogiam nova Unidade Local de Saúde

Os utentes da saúde do Médio Tejo (CUMST) elogiaram na terça-feira os resultados obtidos com a nova Unidade Local de Saúde (ULS), que agrega a gestão dos cuidados primários e hospitalares, tendo defendido a divulgação dos dados do primeiro semestre.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights