Suspensão das aulas em Luanda afeta dois milhões de estudantes

18 de Agosto 2020

A suspensão das aulas na capital angolana desde março passado, por força da pandemia, afetou cerca de dois milhões de alunos e 32 mil funcionários, entre docentes e não docentes, afirmou a governadora de Luanda, Joana Lina.

A responsável, que falava hoje na abertura de um “Encontro de Reflexão sobre o Direito à Educação e Formação em Contexto da Covid-19” deu conta que 21.384 pessoas, entre professores, pessoal administrativo, pais e encarregados de educação, foram já capacitadas para lidar com os alunos em tempo da pandemia.

Entre as ações das autoridades de Luanda, foco da pandemia em Angola, está a elaboração de um protocolo de entrada e saída dos alunos, como um instrumento que define os procedimentos a observar por todos os membros da escola, visando o retorno às aulas, ainda sem data.

“No domínio da preparação das escolas, o objetivo foi elaborar um plano geral de preparação que pudesse assegurar que as mesmas estão prontas para receber os alunos”, disse Joana Lina.

A Covid-19 obrigou a encerrar cerca de quatro mil escolas na capital angolana.

As aulas no ensino geral e universitário em Angola foram suspensas em março, antes de o Presidente angolano, João Lourenço, decretar estado de emergência, que decorreu entre 27 de março e 25 de maio, visando conter a propagação da Covid-19.

No quadro da preparação de condições para a reabertura das escolas e o regresso com segurança dos membros da comunidade escolar, o governo de Luanda elaborou uma estratégia com a preparação das pessoas e das escolas a constituírem os eixos centrais.

Sem apontar um horizonte temporal para o retorno às aulas, Joana Lina adiantou que o seu governo já desenvolveu “várias atividades de mitigação das dificuldades no domínio do fornecimento de água e energia elétrica” nas escolas de Luanda.

As iniciativas que foram sendo tomadas, frisou, visam fundamentalmente “tornar a escola um lugar atrativo, capaz de proporcionar segurança aos alunos, professores e pessoal administrativo” para que a mesma continue a cumprir a sua missão.

A governadora de Luanda considerou também ser “urgente e absolutamente imperioso” que a escola se “reconfigure e se adapte rapidamente a este novo contexto para continuar a desempenhar validamente esta missão”.

“É importante, para o efeito, recorrer a todos os meios técnicos e tecnológicos suscetíveis de auxiliar a estratégia do setor no capítulo da reconfiguração da escola e da sua adaptação ao novo normal”, defendeu.

De acordo com Joana Lina, o aumento exponencial de casos, em Luanda, “obrigou a reorientar a estratégia de engajamento comunitário definida na primeira fase do combate à Covid-19”.

“Precisamos encontrar caminhos e decisões para o regresso às aulas”, exortou.

As implicações da Covid-19 na educação e formação das crianças e jovens em Angola foi o propósito do encontro, promovido pelo Ministério da Educação angolano, que juntou atores públicos e privados do sistema de ensino e aprendizagem.

O ano letivo em Angola tem início normalmente em fevereiro e termina na primeira quinzena de dezembro.

Angola, que desde 26 de maio vive situação de calamidade pública, conta atualmente com 1.935 casos positivos da Covid-19, sendo 1.215 ativos, 88 óbitos e 632 recuperados.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Doenças digestivas mais comuns

Um sistema digestivo equilibrado contribui para a absorção adequada dos nutrientes e o bom funcionamento do organismo.

Vila Nova de Gaia será palco da 18.ª Reunião do Núcleo de Estudos de Diabetes Mellitus da SPMI

Nos dias 25 e 26 de outubro, a cidade de Vila Nova de Gaia será palco da 18.ª Reunião do Núcleo de Estudos de Diabetes Mellitus (NEDM), organizada pela equipa de Gaia e presidida por Pedro Caiano Gil, um dos elementos dinamizadores do NEDM. Esta edição marca uma mudança significativa na organização, afastando-se da alçada direta do secretariado, como tem sido habitual nos últimos anos.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights