Incêndio em hospital do distrito de Brasília forçou evacuação de pacientes mas já está controlado

30 de Agosto 2020

Um incêndio que deflagrou hoje num hospital do distrito federal de Brasília forçou a retirada dos doentes, à pressa, no auge da pandemia de covid-19, mas o fogo já foi controlado e os pacientes já regressaram aos seus quartos.

O incêndio começou por volta das 10:00 locais (13:00 TMG), no hospital privado de Santa Luzia, e gerou uma intensa coluna de fumo no telhado do edifício, que se estendeu pelo céu da capital brasileira, embora tenha sido controlado num curto espaço de tempo.

Os agentes do Corpo de Bombeiros dirigiram-se para as instalações onde combateram as chamas e ajudaram a evacuar as instalações, num momento de emergência que o Brasil atravessa, devido à pandemia de covid-19, que já deixou quase 120.000 mortos e mais de 3,8 milhões de pessoas infetadas em todo o país, refere agência de notícias espanhola EFE.

O portal de notícias da Globo, o G1, adiantou que o fogo já está controlado e que os pacientes, que tinham sido levados para o parque do hospital, em macas e camas, já regressaram aos seus quartos.

Num comunicado citado pelo G!, o Hospital Santa Luzia disse que o incêndio surgiu num equipamento instalado no telhado da unidade e “foi rapidamente controlado pela Brigada de Incêndio e pelo Corpo de Bombeiros”.

O hospital adiantou ainda que foi realizada “uma evacuação preventiva, cumprindo corretamente o que determina o protocolo de segurança”.

Alguns dos pacientes foram acolhidos pelo Hospital Santa Lúcia, que fica ao lado, e também recebe doentes infetados com o novo coronavírus.

De acordo com a investigação preliminar, o incêndio começou na casa das máquinas do hospital e, até agora, não há registo de feridos.

A rápida mobilização dos bombeiros impediu que as chamas se espalhassem por todo o hospital.

O Brasil, com uma população de cerca de 212 milhões de pessoas, é o segundo país mais afetado no mundo pelo a pandemia de covid-19, apenas atrás dos Estados Unidos da América.

Em muitas zonas do país, a pandemia não está sob controlo, como é o caso de Brasília, que, com três milhões de habitantes, registou 2.440 mortes e 158.180 casos a esta sexta-feira, e ainda apresenta uma curva de crescimento, de acordo com o último boletim do Ministério da Saúde.

A taxa de mortalidade da doença na capital brasileira é de 80,9 mortes por 100.000 habitantes, muito acima da média nacional do país, de 56,9.

Na passada terça-feira, o Secretário da Saúde de Brasília, Francisco Araújo, e outros seis funcionários do seu gabinete foram presos por alegada fraude na compra de testes à covid-19.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

BIAL tem novo diretor para a área das neurociências

Com formação em biologia molecular e doutoramento em modelos animais na Doença de Alzheimer da Universidade de Heidelberg, Alemanha, Christian Czech tem uma vasta experiência na indústria farmacêutica, nomeadamente em Neurociências e Doenças Raras, áreas de pesquisa da BIAL., informa a empresa em comunicado.

Apifarma esclarece afirmações de Manuel Pizarro

Ao contrário do que foi divulgado, o investimento do SNS com medicamentos “tem vindo a perder peso relativo ao longo dos anos no montante global público despendido em saúde. Em 2022 representava 19,9%, quando em 2010 este valor era de 21,2%.”, aponta a Apifarma

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights