De facto, o Governo do luzidio Johnson prepara-se para rever a lista de destinos seguros para viajar, que o mesmo é dizer, os paraísos estivais dos quais os súbditos e convidados da Rainha podem regressar ao reino, sem terem de cumprir 14 dias de confinamento.

Isto porque, como não podia deixar de ser, os Lusitanos se têm comportado mal e descurado as regras de proteção contra o COVID, fazendo crescer a incidência diária de casos para valores inadmissíveis para o Governo do país euro aonde mais gente morreu vítima do maléfico vírus oriundo da China.

Com a malta a chegar a Portugal aos magotes depois de Portugal ter merecido, por parte do Reino Unido, o estatuto de destino seguro, vai ser interessante ver como é que se vai processar a trasfega dos centos de milhar de ingleses que estarão dentro de dias no Algarve ou a bebericar colheitas de Porto nas margens do Douro.

A pergunta que de imediato se coloca é a seguinte: então o Governo de Boris não preparou um plano de fuga, tanto quanto possível ordenado?

É que, se não se precaveu, o que acredito piamente que tenha acontecido, vamos ter balsas a vazar de Viana do Castelo rumo às ilhas do Canal, à semelhança do que hoje acontece no mediterrâneo com os refugiados fugidos aos regimes assassinos que governam África e o Médio Oriente?

Ou mesmo no mediterrâneo tentando acostar no rochedo de Gibralter?

Nos próximos dias, logo veremos como irão os veraneante e seus governos desatar o nó que era para a maioria, inevitável de acontecer.

 

MMM 

Share This