Bolsas europeias mistas, apesar de indicadores económicos positivos da China

15 de Setembro 2020

As principais bolsas europeias abriram hoje mistas, apesar dos dados positivos sobre a evolução da produção industrial na China.

Cerca das 08:40 em Lisboa, o EuroStoxx 600 subia 0,13% para 368,98 pontos.

As bolsas de Londres, Madrid e Milão subiam 0,46%, 0,54% e 0,17%, respetivamente, enquanto as de Paris e Frankfurt desciam 0,17% e 0,08%.

Depois de ter aberto em alta, a bolsa de Lisboa invertia a tendência e, cerca das 08:40, o principal índice, o PSI20, recuava 0,33% para 4.271,88 pontos.

Os investidores aguardam hoje o relatório sobre o mercado do petróleo da Agência Internacional de Energia (AIE), depois da divulgação na segunda-feira do relatório similar da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP).

Na segunda-feira, a bolsa de Nova Iorque fechou em alta, com o Dow Jones a avançar 1,18% para 27.993,33 pontos, contra 29.551,42 pontos em 12 de fevereiro, atual máximo desde que foi criado, em 1896.

No mesmo sentido, o Nasdaq fechou a subir 1,87%, para 11.056,65 pontos, contra o atual máximo de sempre, de 12.056,33 pontos, em 02 de setembro.

A nível cambial, o euro abriu hoje em alta no mercado de câmbios de Frankfurt, a cotar-se a 1,1885 dólares, contra 1,1867 dólares na segunda-feira e o máximo desde 15 de maio de 2018, de 1,1944 dólares, em 31 de agosto.

O barril de petróleo Brent para entrega em novembro abriu com tendência descendente, a cotar-se a 39,60 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, contra 39,61 dólares na segunda-feira e o máximo desde março, de 48,29 dólares, em 25 de agosto.

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

SPMI diz que SNS “parece estar a desmoronar-se”

A Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI) alertou esta segunda-feira para a crise do Serviço Nacional de Saúde. A SPMI  volta a promover o Mês da Medicina Interna, em dezembro.

Carlos Cortes defende que SNS tem de continuar a formar médicos

O bastonário da Ordem dos Médicos defendeu esta segunda-feira em Setúbal que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) tem a obrigação de continuar a formar médicos, mesmo que muitos deles continuem a sair, a custo zero, para o setor privado. 

IL critica “cegueira ideológica” da geringonça na saúde

O presidente da IL, Rui Rocha, responsabilizou esta segunda-feira a “cegueira ideológica” da geringonça pelo estado do SNS, a poucos metros do secretário-geral do PCP, Paulo Raimundo, que insistiu na valorização das carreiras dos médicos.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights