23/10/2020 | Covid 19, Lusa, Nacional, Notícias

Ordem dos Médicos critica atraso de nomeações na Guarda e Castelo Branco

A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM) criticou esta sexta-feira o atraso na nomeação, pelo Governo, dos novos conselhos de administração das unidades locais de saúde (ULS) da Guarda e de Castelo Branco.

A posição da SRCOM surge numa altura em que o país vive uma crise sanitária sem precedentes, “com o recrudescimento de novos casos de Covid-19 e com um risco de transmissibilidade da Covid-19 (RT) em franco agravamento na região Centro, de que resultam as consequentes exigências e desafios à capacidade de decisão e de liderança das unidades de saúde”.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a SRCOM apela à ministra da Saúde “para pôr fim ao inexplicável atraso de mais de 10 meses” para a nomeação dos conselhos de administração daquelas duas unidades de saúde do interior do país.

“O Ministério da Saúde está a tardar em proceder à nomeação dos administradores das ULS de Castelo Branco e da Guarda, deixando estas unidades de saúde amputadas do dever de liderança eficaz numa fase especialmente complexa como a que estamos a viver”, critica Carlos Cortes, presidente daquela estrutura.

O responsável, citado na nota, considera a situação como “mais uma prova flagrante de incompetência e de desleixo do Ministério da Saúde perante a gestão da pandemia”.

A SRCOM lembra que a ULS de Castelo Branco está atualmente sem presidente do Conselho de Administração “já que este se reformou há sete meses”.

A ULS da Guarda continua a ser liderada pela médica Isabel Coelho, que iniciou funções no dia 02 de maio de 2017 e terminou a comissão de serviço no dia 31 de dezembro de 2019.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 41,3 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.245 pessoas dos 109.541 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Share This