Em Portugal, são atribuídas todos os anos cerca de 13 mil mortes ao consumo de tabaco e à exposição ao seu fumo, para além de implicar uma menor qualidade de vida e mortalidade prematura a muitos mais milhares.

Neste dia, a Pulmonale quer que os fumadores retirem algum tempo para reflexão e motivação para iniciarem a sua preparação para terminarem com esse vício. Uma oportunidade para procurarem ajuda, se necessário, através das consultas de cessação tabágica existentes nos hospitais.

“As pessoas devem ter presente que o consumo de tabaco contribui para 85% dos cancros do pulmão, que é a doença oncológica com maior taxa de mortalidade”, refere a presidente da Pulmonale – Associação Portuguesa de Luta contra o Cancro do Doentes.

“Em Portugal, anualmente são diagnosticados 5200 novos casos e morrem mais de 4600 pessoas”, salienta Isabel Magalhães, “e isto apesar dos enormes avanços que têm sido desenvolvidos nesta área, onde a evolução da ciência permite hoje novas terapêuticas com grandes benefícios em termos de sobrevivência com qualidade de vida”.

E como “o pulmão não dói e alguns dos sintomas são muitas vezes interpretados e associados pelas pessoas a outras doenças, torna o diagnóstico muitas vezes tardio, com consequências no tratamento. Até por este facto, o melhor é mesmo antecipar o problema, ganhando a consciência que devem evitar o consumo de tabaco”, alerta.

A Pulmonale tem trabalhado muito a questão da prevenção do tabagismo e da cessação tabágica, através de ações de sensibilização principalmente destinada aos jovens. Por outro lado, tem vindo a desenvolver o projeto “Empresa Azul Sem Tabaco”. Na área da consciencialização sobre cancro de pulmão, lança todos os anos no mês de novembro uma campanha de divulgação e informação sobre a doença sendo o tema deste ano o diagnóstico precoce.

PR/HN/João Marques

Share This