Alemanha ultrapassa os 20 mil mortos e regista recorde de infetados

10 de Dezembro 2020

A Alemanha ultrapassou esta quinta-feira os 20 mil mortos relacionados com o novo coronavírus que provoca a Covid-19 e nas últimas 24 horas registou um novo máximo de 23.679 novas infeções, segundo dados do Instituto Robert Koch (RKI).

As autoridades alemãs registaram 440 mortos nas últimas 24 horas, após o máximo de quarta-feira com 590 mortos, e ultrapassou assim os 20 mil mortos desde o início a pandemia de Covid-19.

A Alemanha registou também um novo máximo de 23.679 novas infeções. O anterior tinha sido registado a 20 de novembro com 23.648 positivos em 24 horas.

O número de casos positivos desde o anúncio do primeiro contágio no país, no final de janeiro, é de 1.242.203, com 20.372 óbitos, segundo dados do RKI.

Cerca de 922.100 pessoas recuperaram da doença, enquanto o número de casos ativos é de quase 300 mil, de acordo com estimativas do RKI.

Na Alemanha, a incidência acumulada nos últimos sete dias é de 149,7 casos por 100 mil habitantes e as novas infeções subiram para 124.271 na última semana.

O número de pacientes com Covid-19 em unidades de terapia intensiva subiu para 4.278 na quarta-feira, dos quais 2.521 (59%) recebem ventilação assistida, segundo dados da Associação Interdisciplinar Alemã de Terapia Intensiva e Medicina de Emergência (DIVI).

O fator de reprodução (R) que considera as infeções num intervalo de sete dias em relação aos sete anteriores e que reflete a evolução das infeções de 8 a 16 dias atrás é de 0,99.

A chanceler alemã, Angela Merkel, e os chefes de governo dos estados federais concordaram na quarta-feira em endurecer as atuais restrições em vigor a partir de 01 de dezembro e estendê-las até o início de janeiro.

Durante o Natal haverá uma certa flexibilização das medidas para permitir a celebração com a família ou amigos, aumentando para 10 o número máximo de reuniões (onde os menores de 14 anos não contam).

Em 02 de novembro, entrou em vigor um novo confinamento parcial no país – mais brando do que o decretado na primavera – para tentar conter a pandemia de Covid-19.

Bares e restaurantes, teatros e cinemas, museus e “spas” permanecem fechados, enquanto as lojas e escolas permanecem abertas. O turismo é proibido e o teletrabalho é recomendado.

A pandemia de Covid-19 provocou pelo menos 1.557.814 mortos resultantes de mais de 68,2 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Miguel Quintas Neves: “Sou um apaixonado pela neurorradiologia em todas as suas manifestações”

Miguel Quintas Neves, neurorradiologista do Hospital de Braga, foi o primeiro português distinguido pela Sociedade Europeia de Neurorradiologia com o prémio de melhor trabalho científico do ano, entregue no passado dia 21 de setembro em Viena de Áustria. Em entrevista ao HealthNews, o médico explicou em que consiste o trabalho vencedor, sobre tauopatia primária relacionada com a idade (PART), falou-nos da paixão pela neurorradiologia, “em todas as suas manifestações”, e criticou a falta de investimento em investigação em Portugal.

Siemens Healthineers: “Já estamos bem na frente em termos de tecnologia, procedimentos, imagem e baixa dose de radiação”

O HealthNews viajou até ao coração da Siemens Healthineers para saber mais sobre a atual tecnologia ao serviço da saúde. “Tem ainda muita coisa para vir no futuro, (…) mas hoje nós já estamos bem na frente em termos de tecnologia, procedimentos, imagem e baixa dose de radiação”, disse Frederico Pasquarelli, Head of Advanced Therapies para o sul da Europa.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights