02/03/2021 | Covid 19, Lusa, Mundo, Notícias, Vacinas

Quase quatro milhões de vacinas contra a Covid-19 da Covax chegaram hoje à Nigéria

A Nigéria, o país mais populoso de África com 200 milhões de habitantes, recebeu esta terça-feira quase quatro milhões de doses de vacinas contra a Covid-19, financiadas pela plataforma Covax, e vai começar a vacinação na sexta-feira, anunciaram as autoridades.

Este é o primeiro lote das 16 milhões de doses da vacina da AstraZeneca/Oxford que deverão chegar nos próximos meses à Nigéria, onde os trabalhadores da saúde e as profissões de risco serão os primeiros a ser vacinados, a partir de sexta-feira, segundo adiantaram as autoridades.

O porta-voz presidencial Garba Shehu, citado pela agência France-Presse (AFP), referiu que “a vacinação deverá começar na sexta-feira com as profissões de risco”, acrescentando que o Presidente e o vice-Presidente serão vacinados no sábado.

“Este é um grande dia para a Nigéria. Trabalhámos arduamente para estarmos prontos para administrar a vacina aos trabalhadores da saúde”, disse o diretor da agência nacional encarregada dos programas de imunização, Faisal Shuaib.

“Haverá uma enorme quantidade de trabalho restante para proteger a população da covid-19 e isto exigirá um esforço global e concertado”, acrescentou, numa declaração.

A Nigéria quer vacinar pelo menos 70% dos nigerianos com mais de 18 anos de idade nos próximos dois anos, mas a meta tem sido considerada muito ambiciosa, dados os desafios de segurança e logística neste imenso país densamente povoado, com condições climatéricas severas e estradas difíceis.

“Os aviões de carga estão à espera para transportar vacinas para os 36 estados que compõem a Nigéria”, explicou Shuaib.

“Os Estados que não têm aeroportos utilizarão autocarros com câmaras frigoríficas a partir dos aeroportos mais próximos”, acrescentou.

A Nigéria registava hoje 156.017 casos acumulados de Covid-19, incluindo 1.915 mortes, números considerados subestimados, uma vez que o número de testes realizados é baixo.

Lusa/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Share This