O objetivo é apoiar a formação dos futuros licenciados em Fisiologia Clínica e promover a investigação nesta área, sendo as instituições beneficiadas a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra, do Instituto Politécnico de Coimbra, a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa, do Instituto Politécnico de Lisboa, e a Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias, do Instituto Politécnico de Castelo Branco.

“O nosso objetivo é dotar os alunos da licenciatura em Fisiologia Clínica de um dispositivo único para diagnóstico simultâneo das arritmias e da síndrome de apneia do sono. Esta iniciativa começou por abranger três das maiores escolas de saúde portuguesas, contudo, pretendemos capacitar também as restantes escolas do país. Futuramente, esta operação pode estender-se e abranger outras vertentes”, afirma Marco Bottazzi, vice-presidente da MicroPort CRM pelo Sul Europa, citado em comunicado.

De acordo com Marco Bottazzi, a disponibilização deste dispositivo, bem como de toda a tecnologia associada, nomeadamente o software de análise, “vai permitir, tanto aos alunos, como aos docentes, o contacto com uma tecnologia inovadora, mas sobretudo a realização de investigação no âmbito das áreas científicas, que integram a Fisiologia Clínica, privilegiando o desenvolvimento do espírito científico”.

Este é um dispositivo com capacidade de Holter, para deteção de arritmias cardíacas, e de Polígrafo, para deteção de apneias respiratórias. A sua capacidade de diagnóstico simultâneo permite uma otimização de recursos, uma vez que é possível a realização de dois exames num único período de utilização, e, ainda, perceber a interação entre patologias do foro cardiológico, como as arritmias cardíacas, e do foro respiratório/sono, como é o caso da síndrome de apneia do sono.

Existe uma forte relação entre as arritmias cardíacas, nomeadamente a fibrilhação auricular (FA), e a apneia do sono, estimando-se que 62% dos doentes FA apresentam apneia obstrutiva do sono (SAOS).

Uma abordagem combinada demonstrou melhorar significativamente a eficácia do tratamento da FA, pelo que todos os doentes com FA deveriam ser avaliados relativamente à existência de SAOS, lê-se em comunicado.

PR/HN/RA

Share This