Regulador eslovaco questiona composição de lote da vacina Sputnik V

8 de Abril 2021

O regulador de medicamentos eslovaco afirmou esta quinta-feira não ter sido capaz de determinar a segurança de um lote da vacina russa Sputnik V contra a Covid-19 entregue a Bratislava em março, expressando dúvidas sobre a respetiva composição.

Estado membro da União Europeia (UE), com 5,4 milhões de habitantes, a Eslováquia está a debater-se com uma das taxas de mortalidade associada à Covid-19 mais elevadas do mundo.

O ex-primeiro-ministro eslovaco Igor Matovic foi forçado a renunciar na semana passada no meio de um escândalo sobre a compra apressada de dois milhões de doses da vacina russa, que ainda não recebeu “luz verde” da Agência Europeia de Medicamentos (EMA).

“Os lotes da vacina [Sputnik V] usados em testes pré-clínicos e nos estudos clínicos publicados na revista Lancet não têm as mesmas características e propriedades que os importados para a Eslováquia”, referiu o Instituto Nacional de Controle de Medicamentos (SUKL) da Eslováquia, num comunicado.

“Apenas o nome o liga às vacinas Sputnik V usadas em cerca de 40 países em todo o mundo. Com base apenas em testes laboratoriais, não é possível concluir sobre a eficácia e segurança em humanos” do lote enviado para a Eslováquia, acrescentou o instituto, indicando que o fabricante da vacina não respondeu ao repetido pedido de fornecimento de dados sobre a composição das primeiras 200.000 doses importadas.

Em fevereiro passado, a revista Lancet indicou que a vacina Sputnik V tinha 91,6% de eficácia, dissipando dúvidas sobre a confiabilidade do fármaco.

Matovic, que, apesar de se ter demitido do cargo, permanece no Governo como vice-primeiro-ministro, viajou hoje para Moscovo para analisar a questão com as autoridades russas.

“As minhas discussões estarão centradas na vacina, já que há esforços sistemáticos para impedir o uso da Sputnik V na Eslováquia”, escreveu Matovic na rede social Facebook.

A vacina russa divide os vários países do antigo Bloco de Leste, antes dependentes de Moscovo, com alguns a considerarem-na “uma dádiva do céu” e outros como uma “ferramenta de propaganda” do Kremlin.

A Eslováquia anunciou hoje 1.576 novas infeções nas últimas 24 horas, acumulando 368.470 casos de contágio de Covid-19 desde o início da pandemia.

O novo coronavírus provocou a morte a 10.322 infetados, incluindo já as 79 registadas nas últimas 24 horas.

A pandemia de Covid-19 provocou, pelo menos, 2.890.054 mortos no mundo, resultantes de mais de 133 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Prémio de Investigação Noémia Afonso recebe trabalhos até 31 de julho

O Prémio de Investigação Noémia Afonso, promovido pela Sociedade Portuguesa de Senologia (SPS), anunciou a extensão do prazo de envio dos trabalhos até 31 de julho de 2024. A iniciativa tem como objetivo incentivar a cultura científica e fomentar a investigação clínica na área do cancro da mama.

Guadalupe Simões: Quantidade de atos “não se traduz em acompanhamento com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”

Esta sexta-feira, Guadalupe Simões, dirigente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, criticou a escolha do Governo de pagar pela quantidade de atos. “Quando o Governo diz que dá incentivos ou que dá suplementos financeiros se fizerem mais intervenções cirúrgicas, se tiverem mais doentes nas listas, se operarem mais doentes no âmbito dos programas do SIGIC, se, se, se, está sempre a falar de quantidade de atos, que não se traduz em acompanhamento das pessoas com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”, explicou ao HealthNews.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights