UE ultrapassa 250 milhões de doses de vacinas administradas

2 de Junho 2021

A União Europeia (UE) ultrapassou esta quarta-feira os 250 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 administradas, num total de 80 milhões de cidadãos europeus com vacinação completa, anunciou a Comissão Europeia.

“Hoje ultrapassámos os 250 milhões de vacinações na UE e mais de 80 milhões de europeus estão agora totalmente vacinados”, assinalou a presidente do executivo comunitário, Ursula von der Leyen.

Numa publicação na rede social Twitter, a responsável aponta que a UE está “no bom caminho” para atingir o objetivo de “fornecer doses suficientes para vacinar 70% da população adulta da UE em julho”.

Atualmente, estão aprovadas quatro vacinas anticovid-19 na UE: a Comirnaty (nome comercial da vacina Pfizer/BioNTech), Moderna, Vaxzevria (novo nome do fármaco da AstraZeneca) e Janssen (grupo Johnson & Johnson).

Além dos constantes atrasos na entrega das vacinas e em quantidades aquém das contratualizadas por parte da farmacêutica AstraZeneca, a campanha de vacinação da UE tem sido marcada por casos raros de efeitos secundários como coágulos sanguíneos após toma deste fármaco, relação confirmada pelo regulador europeu, como também aconteceu com a vacina da Johnson & Johnson.

A ferramenta ‘online’ do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC) para rastrear a vacinação da UE e que tem por base as notificações dos Estados-membros, revela que até ao momento uma média de 22,2% da população adulta da UE já foi inoculada com duas doses de vacina contra a Covid-19, enquanto cerca de 46,2% recebeu a primeira dose.

Em termos absolutos, isto equivale a 246 milhões de doses de vacinas administradas de 280 milhões de doses recebidas, dados estes que podem ainda estar a ser atualizados à medida que as notificações dos países chegam ao ECDC.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Luís Meira diz que Força Aérea não tinha meios para ajudar INEM

O presidente demissionário do INEM revelou hoje que quando o instituto foi forçado a reduzir o serviço de helicópteros durante a noite, no início do ano, contactou a Força Aérea, que disse não ter meios para poder garantir a resposta necessária.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights