Segundo o relatório semanal do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) sobre a evolução da curva da pandemia de covid-19, apenas a Madeira apresenta um Rt – indicador que estima o número de casos secundários de covid-19 resultantes de uma pessoa infetada – abaixo do limite estabelecido de 1, estando agora nos 0,83.

Lisboa e Vale do Tejo é a região do país com um Rt mais elevado, tendo passado, no espaço de uma semana, de 1,14 para 1,16, enquanto o Alentejo reduziu o índice de transmissibilidade do vírus de 1,16 para os 1,01.

O Norte, o Algarve e o Centro apresentam um Rt de 1,04 e os Açores de 1,05, de acordo com relatório do INSA.

De acordo com os dados do instituto, entre 02 e 30 de maio, observou-se no país um aumento do Rt de 0,91 para os 1,07, o que indica a “transição de uma tendência decrescente para uma tendência crescente da incidência de SARS-CoV-2”.

“Esta variação foi mais acentuada na região de Lisboa e Vale do Tejo, onde o Rt passou de 0,88 em 30 de abril para 1,22 em 17 de maio”, baixando depois para 1,15 em 30 de maio.

No que se refere à taxa de incidência acumulada de novos casos a 14 dias, os Açores são a única região do país acima do referencial de 120, apresentando uma taxa de 146,6.

Lisboa e Vale do Tejo regista uma taxa de incidência acumulada de novos casos que subiu dos 68,1 para os 92,7, tendo a Madeira apresentado a maior redução, passando dos 109,7 para os 76,3.

As regiões Norte, Centro e Alentejo apresentam uma taxa de incidência acumulada a 14 dias abaixo dos 60 casos por 100 mil habitantes.

O país “apresenta a taxa de notificação acumulada de 14 dias entre 60 e 119,9 por 100 mil habitantes e um Rt superior a 1, ou seja, taxa de notificação moderada e com tendência crescente”, refere o INSA, avançando que, a nível europeu, “na mesma situação que Portugal está o Reino Unido”.

Estes indicadores – o índice de transmissibilidade do vírus e a taxa de incidência de novos casos de covid-19 – são os dois critérios definidos pelo Governo para a avaliação continua que do processo de desconfinamento que se iniciou a 15 de março e que está na quarta fase de alívio das restrições.

Em Portugal, morreram 17.029 pessoas dos 851.031 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

LUSA/HN

Share This