GNR acaba com festa ilegal no concelho de Sintra onde estavam mais de 300 pessoas

11 de Julho 2021

A GNR terminou na madrugada de sábado com uma festa ilegal no concelho de Sintra onde estavam mais de 300 pessoas e que desrespeitava as medidas para conter a pandemia de covid-19, anunciou hoje esta força de segurança.

Num comunicado, a GNR informa que a ação foi desencadeada após uma denúncia anónima de que “estaria a decorrer uma ‘rave’ ilegal numa zona pública do concelho de Sintra”, distrito de Lisboa.

Os militares da deslocaram-se ao local pelas 01:20, tendo constatado que no espaço se realizava “uma festa ‘rave’ previamente anunciada pelas redes sociais, com cerca de 300 pessoas, a decorrer em pleno desrespeito pelas normas vigentes”.

A GNR, através do Destacamento Territorial de Sintra, cessou “de imediato a festa ilegal”, tendo identificado “o organizador do evento e respetivo ‘staff’, para, posteriormente, serem levantados os respetivos autos de contraordenação e auto de notícia”, adianta o comunicado.

Segundo a GNR, “foi ainda apreendido todo o material de som”.

Fonte da GNR acrescentou à Lusa que a festa ilegal decorria num pinhal e que a maioria dos participantes era jovem.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 4.013.756 mortos em todo o mundo, resultantes de mais de 185,5 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente feito pela agência France-Presse.

Em Portugal, desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram 17.148 pessoas e foram registados 905.651 casos de infeção, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Escutismo e Enfermagem: a semente que deu fruto

Lara Cunha, Enfermeira Especialista em Enfermagem Médico-Cirúrgica, Research Fellow na Unidade de Investigação em Ciências da Saúde: Enfermagem da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra

Prémio de Investigação Noémia Afonso recebe trabalhos até 31 de julho

O Prémio de Investigação Noémia Afonso, promovido pela Sociedade Portuguesa de Senologia (SPS), anunciou a extensão do prazo de envio dos trabalhos até 31 de julho de 2024. A iniciativa tem como objetivo incentivar a cultura científica e fomentar a investigação clínica na área do cancro da mama.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights