03/10/2021 | Covid 19, Mundo, Notícias

Rússia regista novo máximo de 890 mortes diárias

A Rússia registou no sábado 890 mortes por covid-19, traduzindo um novo máximo de óbitos desde o início da pandemia, informou hoje o centro operacional de luta contra a doença infecciosa.

Das 890 mortes ocorridas, 65 verificaram-se na capital Moscovo e 59 em São Petersburgo.

Até ao momento, o país contabiliza 209.918 mortes de covid-19, embora as estatísticas oficiais possam pecar por defeito.

No sábado, foram confirmadas na Rússia 25.769 novas infeções, o maior número desde janeiro passado.

Moscovo continua a ser – de acordo com os dados – o principal foco da pandemia, com 4.294 novos casos no sábado, seguido por São Petersburgo, com 2.463 infeções.

Estes dados sobre a pandemia elevam o número total de casos detetados no país para 7.586.536.

As autoridades russas atribuem o aumento exponencial dos casos sobretudo à disseminação da variante delta, considerada mais contagiosa do que as anteriores variantes da doença.

A Rússia não logrou reduzir os números de contágios e a mortalidade, tendo havido uma subida desde junho passado, embora com uma breve trégua no final de agosto.

Por outro lado, persiste a relutância dos russos em se vacinarem, o que inviabilizou os planos do governo de vacinar 60% da população russa até o final do ano.

Até agora, apenas 42,5 milhões de russos, ou seja, 29,1% da população, receberam a vacinação completa.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Share This