As autoridades locais de saúde pública identificaram problemas de insalubridade devido à existência de um rato e, mesmo após a realização de trabalhos de desratização, decidiram encerrar esta unidade do distrito de Lisboa até serem efetuadas obras, disse António Martins à agência Lusa.

O diretor do ACES Oeste Sul explicou que a extensão de saúde estava, desde agosto, sem o único médico de família, por aquele se ter aposentado, mas mantinha os serviços administrativos e de enfermagem.

Desde essa altura, os utentes estão a ser acompanhados na extensão de saúde de Dois Portos ou no Centro de Saúde de Torres Vedras.

Na terça-feira, o município de Torres Vedras promoveu uma visita à unidade de Runa para identificar as obras necessárias à sua reabertura, desde a pintura do interior e reparação de paredes e portas, reparação elétrica e canalização para colocação de lavatório no gabinete médico, substituição de estores e verificação do sistema de ventilação, foi divulgado em nota de imprensa.

A autarquia vai suportar os custos com as obras.

Para tranquilizar a população, o diretor do ACES Oeste Sul disse à Lusa que, após as obras, a unidade vai reabrir e não há intenções de a encerrar.

LUSA/HN

Share This