Num comunicado, o CHL informa que iniciou na sexta-feira “a vacinação da terceira dose de reforço contra a covid-19 dos seus profissionais”, sendo que até ao dia 30 “serão inoculados cerca de 1.250”.

O CHL adianta que, “até ao dia 07 de dezembro, serão inoculados mais cerca de 500”.

“Os profissionais elegíveis são convocados por mensagem escrita (SMS), respeitando a ordem da vacinação da primeira dose”, refere o CHL, explicando que o seu Serviço Farmacêutico “recebeu as vacinas necessárias para todos os colaboradores, incluindo os prestadores de serviço, que já perfizeram os seis meses da primeira vacinação”.

O comunicado esclarece que “serão, posteriormente, encomendadas mais vacinas para os restantes profissionais”, garantindo-se, desta forma, “a segurança de quem trata os doentes”.

“O CHL cumpre a norma da Direção-Geral da Saúde sobre a dose de reforço da vacina contra a covid-19 que prioriza, entre outros grupos profissionais e etários, os profissionais de saúde envolvidos na prestação direta de cuidados”, acrescenta.

Segundo o CHL, “a vacinação de reforço é elegível para os profissionais que tenham sido vacinados com um intervalo de, pelo menos, seis meses, após o esquema vacinal primário”, sendo que “este reforço não é recomendado aos profissionais que recuperaram de infeção por covid-19”.

O CHL integra os hospitais de Santo André, em Leiria, Distrital de Pombal e Bernardino Lopes de Oliveira, em Alcobaça.

Segundo o seu ‘site’, o CHL tem como “área de influência a correspondente aos concelhos de Batalha, Leiria, Marinha Grande, Porto de Mós, Nazaré, Pombal, Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos, Castanheira de Pera, Ansião, Alvaiázere, Ourém e parte dos concelhos de Alcobaça e Soure, servindo uma população de cerca de 400.000 habitantes”.

A covid-19 provocou pelo menos 5.130.627 mortes em todo o mundo, entre mais de 255,49 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse, divulgado na sexta-feira.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.310 pessoas e foram contabilizados 1.119.784 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde de hoje.

A doença é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

NR/HN/LUSA

Share This