10/12/2021 | Covid 19, Lusa, Mundo, Notícias, Vacinas

BioNTech estima dose de reforço após três meses devido à Ómicron

O chefe da farmacêutica alemã BioNTech, Ugür Sahin, estimou na quinta-feira ser necessário administrar o reforço da vacina contra a Covid-19 três meses após o esquema vacinal com duas doses devido à transmissibilidade da variante Ómicron.

“Se a Ómicron continuar a espalhar-se como parece, seria cientificamente aconselhável aplicar uma terceira dose após três meses”, disse Ugür Sahin, em declarações ao semanário alemão “Der Spiegel”.

O fundador e chefe da BioNTech, farmacêutica alemã associada à norte-americana Pfizer, sustenta que as duas doses da vacina não conferem imunidade suficiente contra a nova variante Ómicron, sendo necessário uma dose de reforço.

“Pelos dados provisórios que temos, as três doses neutralizam o vírus”, disse, acrescentando que deve ser tida em consideração a possibilidade de uma quarta dose.

Na quarta-feira, a farmacêutica Pfizer e a empresa biotecnológica BioNTech asseguraram que a sua vacina contra a Covid-19 é eficaz para a nova variante, mas com três doses (as convencionais duas doses poderão não ser suficientes).

Apesar de garantirem que a sua atual fórmula funciona contra a infeção da Ómicron, ainda que com o reforço de uma terceira dose, as duas parceiras anunciaram que vão continuar a desenvolver uma vacina específica, com a expectativa de disponibilizá-la até março caso seja necessário.

A variante Ómicron, classificada como “preocupante” pela Organização Mundial da Saúde, foi detetada na África Austral e desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta, em 24 de novembro, foram notificadas infeções em 57 países de todos os continentes, incluindo Portugal.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Share This