Madeira regista 163 novos casos e passa a contabilizar 1.300 ativos

19 de Dezembro 2021

A Madeira registou 163 novos casos de infeção por SARS-CoV-2 e 89 recuperações nas últimas 24 horas, passando agora a contabilizar 1.300 situações ativas, indicou hoje a Direção Regional da Saúde (DRS).

O boletim epidemiológico diário divulgado pela DRS dá conta que, dos 163 novos casos, 14 são importados e os restantes são de transmissão local.

Segundo o documento, dos 1.300 casos de covid-19 atualmente ativos, 60 são importados e 1.240 de transmissão local.

Relativamente ao isolamento dos casos ativos, 39 pessoas estão hospitalizadas no Hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal, duas das quais em cuidados intensivos, e 61 doentes cumprem isolamento numa unidade hoteleira dedicada, permanecendo os restantes em alojamento próprio, refere a DRS.

“No total, há 364 situações que se encontram hoje em apreciação pelas autoridades de saúde, estando estas relacionadas com viajantes identificados no aeroporto, contactos com casos positivos ou outras situações reportadas à linha SRS24 ou provenientes dos vários postos de testagem”, acrescenta.

Estão também a ser acompanhados 428 contactos de casos positivos pelas autoridades de saúde da região e 31.656 viajantes com recurso à aplicação “Madeira Safe”.

A Madeira regista desde o início da pandemia 16.019 casos confirmados de covid-19, 14.597 recuperações e 122 óbitos associados à doença.

As autoridades regionais dos Açores e da Madeira divulgam diariamente os seus dados, que podem não coincidir com a informação divulgada no boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Os dados da DGS atribuem hoje 225 novos casos de covid-19 à Madeira, que, nestas contas, totaliza 17.158 infeções e 115 mortes devido à doença covid-19 desde março de 2020.

A covid-19 provocou mais de 5,33 milhões de mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.778 pessoas e foram contabilizados 1.225.102 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Uma nova variante, a Ómicron, classificada como preocupante pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral, mas desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta, a 24 de novembro, foram notificadas infeções em pelo menos 89 países de todos os continentes, incluindo Portugal.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Sindicatos ouvidos na Comissão de Saúde alertam para “condições muito precárias” no SNS

Os sindicatos dos trabalhadores da saúde falam em “condições muito precárias” para doentes e profissionais. O problema no SNS não é só a carreira: chove dentro de gabinetes, há cadeiras rotas e computadores que não dão resposta. “Não houve investimento na tecnologia como deveria ser”, disse Joana Bordalo e Sá, presidente da FNAM, na Comissão de Saúde.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights