06/01/2022 | Covid 19, Lusofonia, Mundo, Notícias

São Paulo cancela Carnaval de rua em 2022

A cidade de São Paulo, a maior do Brasil, anunciou esta quinta-feira o cancelamento dos desfiles dos blocos de rua no Carnaval de 2022 devido à pandemia de Covid-19, juntando-se a outras cidades, como Rio de Janeiro ou Salvador.

A decisão foi anunciada pelo prefeito de câmara, Ricardo Nunes, que justificou o cancelamento do Carnaval de rua com o avanço da Covid-19 na cidade, onde casos de infeções provavelmente relacionados com a circulação da variante Ómicron do coronavírus SARS-CoV-2, causador da Covid-19, têm aumentado bastante no início deste ano.

“Por conta da situação epidemiológica está cancelado o Carnaval de rua de São Paulo”, afirmou Nunes em declarações à imprensa local.

Apesar do cancelamento das atividades carnavalescas nas ruas, Nunes manteve – assim como aconteceu na cidade do Rio de Janeiro – a previsão da realização dos desfiles das escolas de samba no sambódromo do Anhembi, previstos para os dias 25, 26, 27 e 28 de fevereiro.

“Nós vamos sentar com a Liga das Escolas de Samba para combinar um protocolo para a realização dos desfiles no sambódromo. Caso eles aceitem os protocolos, os desfiles serão mantidos”, destacou o prefeito ‘paulista’.

A participação em eventos relacionados com o Carnaval, como bailes, irá obrigar à apresentação de comprovativo de vacinação, independentemente do número de pessoas, segundo a secretaria de Saúde da cidade de São Paulo.

O Brasil registou 619.513 mortes provocadas pelo coronavírus e mais de 22,3 milhões de infeções, segundo o Ministério da Saúde do país.

O Governo brasileiro também reconhece oficialmente 265 infeções provocadas pela estirpe Ómicron e informa que investiga outros 520 casos suspeitos.

A Covid-19 provocou 5.456.207 mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em diversos países.

Uma nova variante, a Ómicron, considerada preocupante e muito contagiosa pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral, mas desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta, a 24 de novembro, foram notificadas infeções em pelo menos 110 países, sendo dominante em Portugal.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Share This