13/01/2022 | Covid 19, Nacional, Notícias

Aveiro terá novo centro de vacinação a funcionar até final do mês, diz autarca

O presidente da Câmara de Aveiro, Ribau Esteves, anunciou esta quinta-feira que, até ao final do mês, Aveiro deverá ter um novo centro de vacinação, com uma equipa de enfermagem exclusiva.

Ribau Esteves falava no período de antes da ordem do dia da reunião pública da câmara, dizendo esperar que, ainda durante o mês de janeiro, possa ser ativada uma nova instalação como centro de vacinação.

De acordo com o autarca, o novo centro já está a ser montado e terá “as devidas condições, com a característica nova de ficar reservado para ser mantido com esse fim enquanto for necessário”.

“É um espaço que não tem conflitos de interesses, quer dizer, não precisamos de fazer lá a Feira de Março”, referiu, aludindo ao Parque de Feiras e Exposições onde funcionou anteriormente o centro de vacinação.

O novo local, salientou, “é uma instalação que ficará reservada com uso exclusivo e no tempo que seja necessário”, lembrando que a responsabilidade pelos centros de vacinação cabe ao Ministério da Saúde.

“Como sempre, a Câmara Municipal de Aveiro assume-se como parceiro do Ministério da Saúde, membro da equipa neste combate, ativando o espaço A ou B conforme for entendido como necessário”, disse, reiterando a total disponibilidade para colaborar com o Ministério da Saúde, que “é quem gere o processo de vacinação”.

“Nos próximos dias estaremos com o Agrupamento de Centros de Saúde do Baixo Vouga a anunciar o local do novo centro de vacinação, que terá uma equipa de enfermeiros a trabalhar em exclusividade de funções, numa decisão do Ministério da Saúde que saudamos”, acrescentou.

Desde que foi encerrado o centro de vacinação no Parque de Feiras e Exposições, as vacinas contra a COVID-19 têm sido ministradas no Centro de Saúde de Aveiro, gerando longas filas no exterior e manifestações de desagrado de vários utentes.

Manuel Sousa, vereador do PS, observou que “o Ministério da Saúde é o mesmo em todo o país e noutras zonas os centros de vacinação não encerraram”.

Reconhecendo que a afluência inesperada ao Centro de Saúde de pessoas sem marcação para serem vacinadas contribuiu para o “caos” que se verificou em algumas ocasiões, Manuel Sousa apelou ao empenho do presidente da Câmara de Aveiro na rápida resolução do problema.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Share This