“Neste momento, temos centros de testagem contratualizados até ao fim do mês e ainda não tomamos nenhuma decisão relativamente ao futuro, tomamos sempre as decisões em cima da hora e atendendo às circunstâncias”, disse o autarca aos jornalistas, à margem de uma visita às novas instalações da Livraria Poetria.

No final de janeiro, se a situação pandémica não for aquela que existe hoje e se a rede de farmácias, com aquilo que são os apoios do Estado, conseguir dar resposta à testagem, Moreira admite encerrar os centros dado serem “onerosos” para a autarquia.

“São onerosos para a câmara, estamos a falar de um milhão de euros por mês”, recordou.

Contudo, se for necessário, a autarquia manterá os centros, provavelmente numa “versão reduzida”, acrescentou.

O independente adiantou que a procura nos centros de testagem está a “diminuir visivelmente”.

Devido à reabertura hoje dos bares e discotecas, estes centros disponibilizados para a realização de testes antigénio para deteção da Covid-19 retomam o horário ampliado, anunciou a câmara numa informação publicada no seu `site´.

“Os centros de testagem Unilabs e Germano de Sousa na Praça Gomes Teixeira e na Praça D. João I tornam a funcionar até às 24:00, o mesmo acontece no centro na Trindade. Os horários dos centros operados pela POC Medical Care também retomam o período de funcionamento anteriormente praticado”, sublinhou.

LUSA/HN

Share This