Tem uma situação de estrabismo na família?

Um Acidente Vascular cerebral (AVC) consiste, genericamente, numa diminuição ou oclusão do fluxo sanguíneo cerebral associada a uma lesão de células cerebrais. Após o tratamento e estabilização inicial na fase aguda, o doente entra na fase de reabilitação que, usualmente, se inicia durante o próprio internamento hospitalar.

Um Acidente Vascular cerebral (AVC) consiste, genericamente, numa diminuição ou oclusão do fluxo sanguíneo cerebral associada a uma lesão de células cerebrais. Após o tratamento e estabilização inicial na fase aguda, o doente entra na fase de reabilitação que, usualmente, se inicia durante o próprio internamento hospitalar.

Tem uma situação de estrabismo na família?

O ESTRABISMO INFANTL 

O estrabismo na criança é um fator de risco muito importante para a ambliopia. Estima-se que a ambliopia afete entre 0,5-3,5% da população com idade inferior a 8 anos.

O estrabismo define-se como uma alteração do alinhamento ocular. Os desalinhamentos dos eixos visuais podem ser horizontais, convergente (também chamado endotropia), divergente (também chamado exotropia), vertical para cima ou para baixo e ainda torcional.

Existem também formas de estrabismos mistos, em que os eixos visuais, podem desalinhar em mais do que uma direção.

Há uma situação que é causa frequente de ansiedade e preocupação dos pais, chama-se pseudoestrabismo. Trata-se de um falso estrabismo que se encontra em idades muito precoces, geralmente até aos 3 anos. A criança parece apresentar um estrabismo, geralmente convergente, mas de facto os olhos estão bem alinhados. Esta situação está relacionada com a configuração da face, em particular a presença de epicanto e uma ponte nasal larga. Ao contrário dos outros tipos de estrabismo, este vai-se atenuando com o crescimento. 

Existem vários fatores de risco para o aparecimento do estrabismo, como por exemplo, a existência de história familiar, bebés prematuros (idade gestacional inferior a 28 semanas e/ou peso inferior a 1,500 kg), complicações do parto, síndromes genéticos, etc.

As causas do estrabismo variam de acordo com o tipo de estrabismo.

O estrabismo congénito, geralmente uma endotropia , manifesta-se nos primeiros 6 meses de vida e não tem causa conhecida.

A endotropia acomodativa é a forma mais frequente de estrabismo e, geralmente, manifesta-se entre os 2 e 5 anos de idade.

Existem outras causas de estrabismo, em que o olho desvia por diminuição acentuada da acuidade visual como sejam a presença de uma catarata, ou de um descolamento de retina.

Também podem surgir estrabismos provocados por lesões intracranianas como por exemplo, tumor, acidente vascular cerebral, traumatismos, etc.

O que é a ambliopia?

É uma perda da potencial acuidade visual causada pela estimulação inadequada do córtex visual. O diagnóstico precoce de crianças com estrabismo permite prevenir ou tratar a ambliopia.

A ambliopia deverá ser tratada até aos 10 anos, porque depois desta idade a capacidade de recuperação visual é diminuta.

Existe uma panóplia de recursos para tratar o estrabismo e a ambliopia que frequentemente lhe está associada.

Estes meios de tratamento são utilizados isoladamente ou em conjunto, consoante as características da situação clínica.

Assim, o médico oftalmologista poderá recorrer a:

  1. Correção ótica
  2. Oclusão com penso oftálmico do olho com melhor acuidade visual
  3.  Filtros
  4. Colírios
  5. Exercícios de ortóptica
  6. Toxina botulínica
  7. Cirurgia

O aspeto mais importante que gostaríamos de realçar é que o estrabismo é uma das patologias mais frequente em idade pediátrica, que tem associado um enorme potencial para o desenvolvimento de ambliopia e que deverá ser tratada até aos 10 anos de idade. 

Equipa de Oftalmologista

Hospital Cruz Vermelha 

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Share This