02/02/2022 | Nacional, Notícias

Politécnico da Guarda lidera projeto internacional de formação para cuidadores de idosos

O Instituto Politécnico da Guarda (IPG) lidera um projeto internacional que vai capacitar os cuidadores da pessoa idosa para a promoção do envelhecimento ativo e saudável.

Segundo o IPG, “a iniciativa surge no âmbito do projeto ‘EducAGE’, financiado pelo programa Erasmus+ da União Europeia (UE) e que está a ser desenvolvido em parceria com especialistas espanhóis, checos e húngaros”.

O projeto, coordenado pelo Politécnico da Guarda, “visa preparar os cuidadores de idosos para a prevenção do declínio funcional e consequentes síndromes geriátricas – como a incapacidade cognitiva, incontinência urinária ou quedas – contribuindo assim para a melhoria da qualidade de vida dos idosos”.

A equipa do IPG está a preparar uma formação interativa de 32 horas e meia, que será ministrada em modelo híbrido, e os conteúdos, disponibilizados através de ferramentas digitais, “serão sobre atividades que estimulem as capacidades cognitivas e físicas dos idosos, as demências, o cuidado integrado e a prevenção das síndromes geriátricas”.

De acordo com o Politécnico, para promover a aprendizagem informal, será desenvolvida uma aplicação móvel baseada nos princípios do ‘mobile learning’, com conteúdos pensados para favorecer a micro aprendizagem, ou seja, “dicas, mensagens curtas, curiosidades e atividades simples para promover o envelhecimento saudável”.

Também estão contempladas sessões interativas de troca de experiências com especialistas europeus das áreas da saúde e da gerontologia.

“No decorrer dos projetos que temos vindo a desenvolver com profissionais que trabalham em lares, centros de dia e IPSS [Instituições Particulares de Solidariedade Social], fomos alertados sobre a carência de ações de formação que permitam atualizar as competências dos cuidadores formais e informais”, afirmou Carolina Vila-Chã, docente do IPG e coordenadora europeia do projeto “EducAGE”.

A responsável acrescentou que, após o alerta, foi desenhando o projeto “para que os profissionais e voluntários em causa possam adquirir novos conhecimentos e aceder a ferramentas digitais que os ajudem a melhorar o seu trabalho diário”.

O presidente do IPG, Joaquim Brigas, salientou que o estabelecimento de ensino superior que lidera “está empenhado em desenvolver projetos de investigação na área do envelhecimento ativo e em desenhar formações na área da educação social”.

“Foi recentemente anunciado que o IPG será a sede da Região Centro do Observatório Nacional do Envelhecimento. Isto demonstra que o nosso trabalho tem ajudado na definição de políticas capazes de enfrentar os problemas sociais e de saúde com que a população mais idosa se depara diariamente”, lembrou o responsável.

O “EducAGE” tem a duração de dois anos e está a ser desenvolvido em parceria com o Laboratório Colaborativo Montanhas de Investigação (Portugal), o Centro de Cirurgia Minimamente Invasivo Jesus Uson (Espanha), a Faculdade de Medicina da Universidade Semmelweis Egyetem (Hungria) e as Faculdades de Medicina da Univerzita Karlova e de Informática e Gestão da Univerzita Hradec Králové (República Checa).

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Share This