Hospital de Braga investe 274 mil euros em equipamentos para exames endoscópicos

22 de Março 2022

O Hospital de Braga investiu 274 mil euros no Serviço de Gastrenterologia, sendo a maior fatia destinada à aquisição de equipamentos “altamente diferenciados” para execução de exames de endoscopia digestiva, foi esta terça-feira anunciado.

Em comunicado, o hospital sublinha que aqueles equipamentos vêm melhorar “significativamente” a qualidade de imagem e a rapidez e dinâmica do procedimento.

Em causa estão endoscópios altos, colonoscópios e duodenoscópios de alta definição e respetivos processadores e monitores, bem como equipamento acessório.

A aquisição destes equipamentos foi concretizada com recurso a verbas transferidas pelo Orçamento do Estado.

Entretanto, e para complemento daquele investimento em Gastrenterologia, o Hospital de Braga investiu mais de 55 mil euros na compra de fontes de eletrocirurgia com árgon.

O hospital dá ainda conta da aquisição de um enteroscópio espiral, que vai permitir introduzir, em breve, esta nova técnica endoscópica, evitando que os utentes se desloquem a outras instituições para realização do exame.

Citada no comunicado, a diretora do Serviço de Gastrenterologia do Hospital de Braga, Raquel Gonçalves, refere que o reforço destes equipamentos permite “uma maior diferenciação técnica, através de tecnologia mais moderna, apostando-se na inovação com o objetivo de aumentar a capacidade e a qualidade de resposta nesta especialidade”.

“O objetivo é continuar a apostar na melhoria contínua destes cuidados na região, uma vez que a procura desta especialidade é elevada, nomeadamente para realização de exames de elevada complexidade”, acrescenta.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Luís Meira diz que Força Aérea não tinha meios para ajudar INEM

O presidente demissionário do INEM revelou hoje que quando o instituto foi forçado a reduzir o serviço de helicópteros durante a noite, no início do ano, contactou a Força Aérea, que disse não ter meios para poder garantir a resposta necessária.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights