Freguesia em Pombal lança projeto para ajudar a integrar imigrantes

30 de Março 2022

A Junta de Meirinhas, no concelho de Pombal, lançou um projeto que passa por conhecer os imigrantes residentes na freguesia para depois ajudar na sua integração.

Numa informação enviada à agência Lusa, a Junta justifica a iniciativa, denominada “Integração”, com o facto de nos últimos anos se assistir a um movimento de chegadas e partidas de imigrantes na freguesia e por considerar ser “necessário o apoio a estas comunidades e a sua monitorização”.

“O projeto ‘Integração’ já estava a ser desenvolvido em fase-piloto desde o início de 2022, sendo que já acompanha sete famílias, totalizando cerca de três dezenas de pessoas”, adiantou aquela autarquia do distrito de Leiria.

Segundo a Junta de Freguesia presidida por João Pimpão, entre os objetivos do projeto estão “integrar, acompanhar e ajudar os imigrantes que vivem na freguesia”, além de conhecer esta população e “monitorizar os fluxos populacionais”.

Este projeto desenvolve-se na freguesia de Meirinhas com base nos recursos técnicos disponibilizados pela APOIAR – Comissão Social Interfreguesias de Carnide, Meirinhas e Vermoil.

A técnica desta comissão, Rita Santos, adiantou que nas Meirinhas há conhecimento de 29 imigrantes, a maioria homens, sendo a nacionalidade preponderante brasileira, seguindo-se a chinesa e a ucraniana. A principal atividade profissional dos homens é a construção, enquanto a das mulheres é a restauração.

De acordo com Rita Santos, os dados sobre o número de imigrantes a residir na freguesia baseiam-se naquilo que é comunicado por “pessoas que sabem que chegou alguém” ou quando os estrangeiros vão pedir atestado de residência por razões laborais.

“Quando temos esse conhecimento, queremos também ter a certeza de que eles vivem nas habitações e acabamos por fazer esse contacto de proximidade, realizar visita e perceber se estão integrados a nível de emprego, se necessitam de ajuda a fazer um currículo ou até na procura de emprego”, declarou.

A educadora social explicou que, além de conhecer os imigrantes, “Integração” quer saber que eventuais necessidades possam ter no âmbito laboral, na saúde ou na educação, para posterior apoio.

Segundo a técnica, do conhecimento que tem trata-se de pessoas bem integradas, notando que a maior dificuldade identificada é o acesso aos serviços.

“Eles não sabem por onde hão de ir e que acabam por precisar da nossa ajuda”, afirmou, referindo que a iniciativa quer, também, incluir os refugiados da Ucrânia que se estão a radicar na freguesia na sequência da invasão russa. Nas Meirinhas, já está instalada uma família refugiada, mulher e três filhos. A mulher já tem emprego e os filhos na escola, precisou a educadora social.

“Integração” poderá ainda vir a ser alargado a outras freguesias, acrescentou Rita Santos.

Os Censos de 2021, do Instituto Nacional de Estatística, indicam que residiam na freguesia quase 1.700 pessoas.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Luís Montenegro: “Concordo com a necessidade de valorizar a carreira dos bombeiros e estamos a trabalhar nisso”

Hoje, no debate sobre o estado da nação, o primeiro-ministro respondeu a Inês Sousa Real que concorda que é necessário valorizar a carreira dos bombeiros, mas o Governo está “a trabalhar nisso”, e garantiu que não está desatento à violência doméstica, tendo já avançado com um despacho para a criação de um grupo de trabalho “transversal” no âmbito do apoio à vítima.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights