Sindicato exige segunda dose de reforço dos médicos

O Sindicato Independente dos Médicos (SIM) exigiu ao Ministério da saúde que “acautele a vacinação” dos profissionais de saúde “a par dos grupos da população mais vulneráveis”.

O SIM deixou fortes críticas à gestão da pandemia, alertando que “Portugal encontra-se no limiar da sexta onda pandémica”.

“Se é certo que a evolução do vírus é imprevisível, também é verdade constatar-se que o alívio das medidas foi precoce, ou não tivesse sido baseado na “evidência” político-governativa”, refere o sindicato em comunicado.

O SIM considera que “sendo os profissionais de saúde a linha da frente no combate à pandemia, o SIM exige que o Governo acautele a sua vacinação – a par dos grupos da população mais vulneráveis, como é o caso dos idosos ou dos doentes crónicos.”

A decisão de pôr fim à testagem gratuita é vista uma medida negligente por parte do sindicato que lamenta a pressão nos serviços de urgência hospitalares.

O sindicato defende “a retoma da disponibilização graciosa da testagem em ambiente comunitário, através da disponibilização de um número razoável de testes rápidos de antigénio, a realizar graciosamente por qualquer cidadão em farmácias ou em laboratórios de análises clínicas.”

PR/HN/VC

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Share This