Açores arrancaram hoje com 2.ª dose de reforço da vacina

23 de Maio 2022

A administração da segunda dose de reforço da vacina contra a Covid-19 a idosos com 80 ou mais anos e a residentes nos lares arrancou hoje nas ilhas Terceira e Santa Maria, anunciou o Governo Regional dos Açores.

De acordo com uma nota publicada na página da Internet do executivo, “nos dias subsequentes, o mesmo acontecerá nas restantes ilhas, por forma a que na próxima semana o processo contemple todo o arquipélago”.

“A segunda dose de reforço destina-se a pessoas com 80 ou mais anos de idade e aos residentes em estruturas residenciais para idosos, incluindo as pessoas que recuperaram de infeção por SARS-CoV-2”, lê-se ainda na mesma nota.

Segundo a Direção Regional da Saúde, “a finalidade principal da administração, nesta fase, é a proteção contra doença grave e morte por Covid-19 destas populações de maior risco e mais vulneráveis”.

A Direção Regional esclareceu ainda que a vacina para utentes que não residam em estruturas residenciais para idosos “será articulada pelas respetivas unidades de saúde de ilha”.

Em 13 de maio, o secretário Regional da Saúde, Clélio Meneses, revelou, em declarações aos jornalistas na Horta, à margem do plenário da Assembleia Legislativa Regional, que os Açores iriam antecipar para este mês a segunda dose de reforço da vacina para idosos com mais de 80 anos e residentes em lares.

De acordo com o mais recente boletim da Autoridade de Saúde Regional, a região conta com 4.546 casos ativos de infeção.

Segundo a mesma entidade, já foram administradas nos Açores 554.665 doses da vacina contra a Covid-19.

Têm vacinação primária completa na região 217.156 pessoas (91,8%) e já receberam a vacinação de reforço 124.307 pessoas (55,6%).

Desde o início da pandemia foram identificados nos Açores 93.180 casos de infeção pelo SARS-CoV-2, tendo ocorrido 88.191 recuperações e 111 óbitos.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Guadalupe Simões: Quantidade de atos “não se traduz em acompanhamento com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”

Esta sexta-feira, Guadalupe Simões, dirigente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, criticou a escolha do Governo de pagar pela quantidade de atos. “Quando o Governo diz que dá incentivos ou que dá suplementos financeiros se fizerem mais intervenções cirúrgicas, se tiverem mais doentes nas listas, se operarem mais doentes no âmbito dos programas do SIGIC, se, se, se, está sempre a falar de quantidade de atos, que não se traduz em acompanhamento das pessoas com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”, explicou ao HealthNews.

Guadalupe Simões: “Reunião apenas serviu para o Ministério da Saúde promover essa chantagem tentando que nós suspendêssemos a greve”

A reunião entre o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) e o Ministério da Saúde “correu muito mal”. Na quinta-feira, “o Ministério da Saúde procurou chantagear o sindicato dizendo que só negociava se a greve fosse suspensa”, contou ao HealthNews Guadalupe Simões, dirigente do SEP, que, por esse motivo, pelos enfermeiros, pelos doentes e pelo SNS, espera que haja uma forte adesão à greve nacional de 2 de agosto.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights