Clínica do SAMS oferece rastreio oftalmológico a refugiados

Esta segunda-feira, os refugiados do Conselho Português para Refugiados (CPR) deslocaram-se até ao centro clínico ambulatório do SAMS para fazerem um rastreio oftalmológico gratuito.

Para assinalar o Dia Mundial do Refugiado, o SAMS realizou uma parceria com o Conselho Português para Refugiados (CPR).

Além do rastreio, o SAMS decidiu ainda oferecer um par de óculos a todos aqueles que precisam.

“Não devia existir um dia do refugiado. Deviam ser todos os dias. Às vezes temos tanta sorte com a nossa envolvente que nos esquecemos o que é chegar a um sítio e não ter nada. É a pensar nestas pessoas que desenvolvemos esta ação. Ninguém devia ser privado de ter acesso à saúde. É um enorme orgulho podermos trabalhar com o CPR neste dia tão especial”, disse António Fonseca, presidente do conselho executivo do SAMS.

“O CPR considera que a saúde é essencial para a integração das pessoas refugiadas no nosso país, sendo esta uma das principais prioridades da nossa organização. A especialidade de oftalmologia é das que exige maior necessidade de apoio, por isso, e graças a esta parceria, hoje conseguimos fazer a diferença”, referiu o CPR.

A rede SAMS inclui o Hospital SAMS, o Centro Clínico de Lisboa, 17 clínicas pelo país, serviço de ótica, parafarmácia e um lar de idosos.

O SAMS é uma entidade dotada de autonomia administrativa e financeira, gerida pelo Sindicato da Banca, Seguros e Tecnologias – MAIS Sindicato.

O CPR foi constituído em 20 de setembro de 1991, por um conjunto de personalidades de diversos quadrantes da sociedade portuguesa. Teresa Tito de Morais foi eleita presidente da direção, cargo que manteve até março de 2019.

A pequena ONG, que nasceu há mais de duas décadas apenas com dois trabalhadores, um punhado de voluntários e o patrocínio exclusivo do ACNUR, é hoje uma organização com mais de seis dezenas de colaboradores e vários projetos em curso, financiados por entidades diversas, que visam o acolhimento e integração de refugiados, a promoção de políticas de asilo humanitárias e sustentáveis, e formação e sensibilização para esta temática e para os direitos humanos em geral.

PR/HN/RA

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Share This