26/06/2022 | Notícias

Doença venosa crónica: 7 sintomas que não pode ignorar

Sabia que a sensação de pernas pesadas e inchadas não é normal e pode ser um sintoma de doença venosa crónica? Esta patologia, muitas vezes desvalorizada e tardiamente diagnosticada, precisa de tratamento adequado e atempado.

Um número significativo de pessoas desvaloriza a doença venosa crónica (DVC) e os seus sintomas numa fase inicial.

Trata-se de uma patologia que afeta as paredes e válvulas das veias das pernas e dificulta a circulação do sangue para o coração. Os primeiros sinais são a sensação de pernas pesadas, cansadas e com dor, agravam com o calor e com a posição de pé e limitam tarefas simples do dia a dia.

Em Portugal, a DVC afeta 35% da população adulta, com maior incidência nas mulheres a partir dos 30 anos, sendo preocupante que a maioria dos doentes não procure ajuda médica. A doença é muitas vezes diagnosticada tardiamente, o que pode afetar a qualidade de vida, com impacto social e económico significativo, pelo que o tratamento adequado e atempado é essencial.

Margarida Santos, médica de Medicina Geral e Familiar, salienta que “é fundamental saber reconhecer como se manifesta a doença venosa crónica”. “As queixas iniciais são muitas vezes desvalorizadas assumindo que é normal com a idade ou a chegada do tempo quente. Mas pode não ser e por isso recomendo, à mínima suspeita, procurar um profissional de saúde.”

Há sete sintomas que não podem ser ignorados: pernas cansadas; dor nas pernas; pernas e tornozelos inchados; comichão; dormência nas pernas; cãibras noturnas e sensação de pernas pesadas.

Os doentes devem recorrer à ajuda médica ou farmacêutica sempre que suspeitem que estão perante uma situação de DVC. Quanto mais cedo for feito o diagnóstico e mais cedo se começar a tratar a doença, melhor o prognóstico de evolução. O diagnóstico é simples, podendo numa consulta médica serem investigados aspetos relacionados com a doença.

O tratamento depende da presença e gravidade dos sintomas e deve ser adaptado caso a caso, podendo incluir medicamentos venoativos, compressão elástica e intervenções cirúrgicas.

PR/HN/RA

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Share This