Investigação portuguesa sobre riscos na ida dos idosos às urgências ganha bolsa europeia

Um projeto de investigação, desenvolvido por uma enfermeira especialista na Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, foi distinguido com uma bolsa europeia. O trabalho alerta para o risco de eventos adversos na ida dos idosos às urgências.

“Nursing home residents in the emergency department: Characteristics, Fragility and Aggressiveness in care” é o nome deste projeto, já iniciado pela enfermeira membro do Capítulo Phi Xi da Sigma, sediado na Escola Superior de Enfermagem de Coimbra (ESEnfC), Ângela Simões.

De acordo com a investigadora é fundamental minimizar a transferência de residentes em ERPI´s para os serviços de urgência, pois representa um risco para a saúde.

Apesar das “vantagens do atendimento no serviço de urgência (acesso a profissionais especializados, exames complementares de diagnósticos e acompanhamento), a admissão no serviço de urgência é uma experiência desconfortável e assustadora para os idosos frágeis”, alerta a investigadora.

Entre os riscos de eventos adversos, Ângela Simões identifica as “quedas, úlceras por pressão, delírio, infeções hospitalares e declínio funciona”, os quais, por sua vez, “aumentam o tempo de permanência no hospital e os custos de saúde”.

A também docente convidada no Instituto Politécnico de Castelo Branco nota que Portugal “é o país com mais admissões per capita nos serviços de urgência, entre os países que constituem a OCDE”, sendo que “uma grande percentagem das admissões nestes serviços é realizada por idosos”.

A enfermeira portuguesa conquistou a bolsa de investigação da Sigma Europa, no valor de três mil euros, que servirá para apoiar o projeto “Nursing home residents in the emergency”.

PR/HN/VC

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Share This