12/08/2022 | Opinião

I.N.A.C.E.I.T.Á.V.E.L.

Carla Araújo
Médica especialista em Medicina Interna – Candidata a Presidente da Secção Sul da Ordem dos Médicos

A governação de Marta Temido tem conduzido ao afundamento do SNS. Já não dá para ocultar os problemas. Já não dá para usar a pandemia como desculpa. Marta Temido tem-se mostrado indiferente aos gritos de alerta dos profissionais de saúde. Negligenciar os graves problemas existentes nos hospitais e centros de saúde, de norte a sul do país, é negligenciar os portugueses.

Após 2 anos de luta contra a COVID-19, após 2 anos de exaustão física e emocional, pedir cancelamento de férias dos médicos é reprovável a todos os níveis. Compromete a segurança na prestação de cuidados, aumenta a probabilidade de burnout e viola os direitos de quem trabalha.

Os problemas estruturais do SNS não se resolvem com cancelamento de férias. É preciso reconhecer as dificuldades do terreno e assumir as responsabilidades.

O SNS está em rotura, vítima de anos de desinvestimento, aliado a falta de gestão eficaz. Marta Temido tem-se revelado incapaz de implementar medidas que salvem o SNS. Os doentes estão presos em infindáveis listas de espera para consultas, cirurgias e realização de exames complementares de diagnóstico.

Gostaria de questionar se o Governo também pediu cancelamento de férias de Ministros, Secretários de Estado ou Assessores?

Afinal, qual o plano para o SNS? Cancelar férias? É isso? Inadmissível. Estamos sem rumo. Os médicos não são um escudo do Ministério da Saúde.

 

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Share This