24/08/2022 | Consultório

Proteção ocular em tempo de férias

Henrique Nascimento, OD, Esp., MSc, PhD
Coordenador da LOO do ISEC Lisboa
Professor ISEC Lisboa

Para percebermos as implicações da luz solar na nossa visão, temos de recorrer à figura que nos explica a parte da luz solar que serve para a nossa visão e a parte desta que o nosso sistema visual não percebe e que pode ser nociva para a saúde geral e ocular em particular.

O espectro solar consiste no conjunto da luz infravermelha, luz visível e luz ultravioleta, de modo que a distribuição de energia que ocorre dentro do espectro solar é de cerca de 2% de radiação ultravioleta, 51% de raios infravermelhos e somente 47% corresponde à luz visível.

A radiação ultravioleta é altamente energética em contraponto à infravermelha, e por isso pode ser mais agressiva para o nosso corpo.

Em todo o caso, toda a energia contida na luz solar em doses certas é indispensável ao nosso organismo.

Nunca será demais lembrar as horas boas do dia para receber toda esta energia no nosso corpo e elas são: antes das 10h da manhã e depois das 4h da tarde. O período entre as 10 e as 16h, mesmo que o céu esteja encoberto com nuvens não é recomendável nem saudável.

Tenho também de referenciar que a pele pela sua extensão é o órgão mais sensivel a esta radiação logo seguido pelos olhos. Em relação à pele as pessoas estão mais que informadas dos cuidados a ter (muita informação nos média, como proteger a pele usando protetor solar) já em relação aos olhos, infelizmente, o desconhecimento é maior e por isso aqui vão alguns conselhos e informações.

Porque é importante proteger os olhos quando estamos expostos ao sol, seja na praia, no mar ou na montanha?

– Pela fragilidade dos tecidos que compõem os olhos, desde as pálpebras até à retina.

A pele que circunda os nossos olhos é a mais fina de todas as zonas do corpo e, portanto, deve ser protegida. Como não deve ser usado, na zona palpebral, um protetor de pele normal é aconselhável usar um hidratante próprio para esta zona que também pode ser protegida usando um chapéu de abas largas, o mais opaco possível.

Falando em óculos de sol, talvez o acessório de moda mais usado no verão, é importante perceber da qualidade das suas lentes, pois mais importante do que limitar a entrada da luz visível nos olhos é a filtragem dos raios UV, por muito que sejamos tentados a comprar óculos num sítio qualquer (só para um determinado momento) que não seja uma óptica, poderemos estar a prejudicar mais os nossos olhos do que não usando nada.

Quando compramos uns óculos de sol deveremos ter em conta, que mais importante que a estética é a função. Usar uns óculos de sol pequenos e que não sejam envolventes podem fazer entrar mais raios UV do que não usar qualquer óculo, pois os raios UV não entram unicamente pela zona central, mas por todas as zonas expostas.

A nossa íris, parte colorida dos nossos olhos com um orifício central chamada de pupila, fecha e abre consoante a intensidade luminosa envolvente, se colocarmos algo escuro diante dela a luz percebida pelo olho é menor e a pupila abre permitindo a entrada de mais energia. Se as lentes não filtrarem devidamente os UV passamos a ter dentro dos nossos olhos uma quantidade desta energia maior com resultados mais negativos para os nossos olhos.

Problemas que o excesso de sol pode causar ou agravar nos nossos olhos

Catarata – O cristalino (lente no centro dos nossos olhos por detrás da íris que nos permite focar os objetos a diferentes distâncias) severamente exposto aos raios UV pode começar a ficar turvo não permitido a visão correta, sendo necessário substituir por uma lente artificial através de cirurgia.

       

Pterígio – é o crescimento anormal da membrana que reveste a parte branca do olho. Observa-se a facilmente como pequenos nódulos amarelados que crescem em volta da córnea. Pode comprometer a visão. Em casos limite poderá ser necessária cirurgia de remoção.

Fotoqueratite – é uma dolorosa queimadura solar na córnea. Pode levar à sensação de areia nos olhos e perda temporária da visão. Pode requerer tratamento médico.

As pessoas que passam muitos dias por ano na praia, no mar ou na neve, estão muitas vezes mais expostas aos raios UV, uma vez que tanto a areia da praia, como o mar e acima de tudo a neve, refletem muita quantidade de UV para além do que é recebido de forma direta.

Nestas ocasiões não esquecer:

– Óculos de sol próprios para cada situação, aconselhado pelo seu óptico habitual.

– Chapéus ou bonés de aba ou pala larga e protetora dos raios verticais.

– Hidratante ocular próprio adquirido no seu óptico ou farmácia habituais.

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Share This