Criança com Distúrbio do Espectro do Autismo faz tratamento promissor com recurso a células estaminais

Uma criança portuguesa com cinco anos a quem foi diagnosticado um distúrbio do espectro do autismo, realizou recentemente nos Estados Unidos um tratamento com recurso a células estaminais do cordão umbilical com o objetivo de melhorar a sua condição.

O procedimento realizou-se em agosto, no Hospital da Universidade de Duke, nos Estados Unidos da América (EUA), no âmbito do Expanded Access Protocol (EAP) ligado a um ensaio clínico na área do autismo e da paralisia cerebral, liderado por Joanne Kurtzberg, especialista de renome internacional em hemato-oncologia pediátrica e pioneira no uso do sangue do cordão umbilical em transplantação hematopoiética como alternativa aos transplantes de medula óssea. 

“Desde que o Salvador foi submetido ao tratamento, em casa e na escola, temos vindo a sentir várias melhorias. Notamos que está mais atento e concentrado e esperamos que nos próximos meses os progressos sejam ainda mais visíveis e significativos.”, refere Liane Paixão, mãe do menino que vive com autismo.

O laboratório de criopreservação, onde as células estaminais do Salvador estavam guardadas desde o seu nascimento, foi contactado por Liane para que libertasse a amostra. A BebéVida fez chegar a amostra ao Hospital Pediátrico da Universidade de Medicina de Duke. Dias depois de a amostra chegar aos EUA foi marcado o procedimento. A infusão de células estaminais demorou menos de uma hora e, não se tendo registado quaisquer efeitos secundários nas primeiras 24 horas o menino teve alta e pôde regressar a Portugal.

Estima-se que 50 mil portugueses tenham perturbações do espectro do autismo.

PR/HN/VC

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Share This