ULS de Coimbra cria resposta diferenciada para doentes dos cuidados primários

5 de Janeiro 2024

A Unidade Local de Saúde (ULS) de Coimbra anunciou esta sexta-feira a criação de uma resposta centralizada nos Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC), fora do Serviço de Urgência, para doentes referenciados pelas unidades de cuidados de saúde primários.

O anúncio foi feito pelo presidente da ULS de Coimbra, Alexandre Lourenço, em conferência de imprensa, que decorreu durante a manhã de hoje nos HUC.

Com esta resposta centralizada, para já a funcionar só no próximo fim de semana, os doentes enviados pelas unidades de cuidados de saúde primários podem “em tempo rápido” realizar análises clínicas, exames de raio-X ao tórax, ECG (eletrocardiograma) e testes com zaragatoas.

Os resultados destes exames serão analisados pelos médicos das unidades de cuidados de saúde primários que, posteriormente, podem prescrever o respetivo tratamento terapêutico.

Esta medida integra o Plano de Contingência da ULS face à pressão verificada desde dezembro nos serviços de urgência dos hospitais da Universidade de Coimbra, dos Covões e Pediátrico, por causa da gripe e infeções respiratórias.

Segundo Alexandre Lourenço, nos dias 26 de dezembro e 02 de janeiro a consulta aberta nos cuidados de saúde primários “foi essencial para garantir a resposta hospitalar”.

Entre os dias 23 de dezembro e quarta-feira o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (que integra a nova ULS) atendeu nas urgências 9.503 pessoas, de que resultaram 1.1153 admissões a internamento, adiantou o administrador.

Face à situação epidemiológica atual, a ULS está a implementar medidas adicionais, que passam também pelo aumento de camas, reforço das equipas médicas e articulação com a Segurança Social para que as estruturas residenciais para pessoas idosas (ERPI) reforcem também os cuidados médicos e de enfermagem, antes de enviarem os utentes para os serviços de urgência.

“No dia 03 de janeiro, 36,6% dos doentes admitidos nos serviços de urgência de adultos têm mais de 70 anos e 21,1% mais de 85 anos”, sublinhou o presidente da ULS Coimbra.

Alexandre Lourenço adiantou ainda que, até à próxima quarta-feira, estão adiadas as cirurgias convencionais de doentes não prioritários, mantendo-se as cirurgias programadas para doentes “internados do foro de ortopedia e especialidades cirúrgicas sediadas no Bloco de Celas e Cirurgia Cardiotorácica”.

O administrador salientou que a procura pelo serviço de urgência nos hospitais centrais da ULS Coimbra estabilizou e que o pico de afluência deverá situar-se entre “10 a 15 de janeiro”, embora possam ser tomadas mais medidas “adequadas à procura”.

Alexandre Lourenço disse que, para o próximo inverno, vão ser criadas mais “soluções alternativas de confiança” para respostas mais qualificadas aos doentes abrangidos pela ULS Coimbra.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Luís Meira diz que Força Aérea não tinha meios para ajudar INEM

O presidente demissionário do INEM revelou hoje que quando o instituto foi forçado a reduzir o serviço de helicópteros durante a noite, no início do ano, contactou a Força Aérea, que disse não ter meios para poder garantir a resposta necessária.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights