Reabertura de balneários em Gondomar aguarda contra-análise negativa de ‘legionella’

12 de Janeiro 2024

Um mês decorrido sobre a deteção da bactéria ‘legionella’ em dois chuveiros dos balneários da Escola Secundária de Gondomar, que obrigaram ao seu encerramento, a normalização da situação aguarda pelo resultado da terceira contra-análise negativa, revelou a escola.

Num email enviado na quinta-feira aos pais, e a que a Lusa teve hoje acesso, a diretora da escola do distrito do Porto informa que, seguindo as determinações da Parque Escolar, “estão a ser levados a cabo todos os procedimentos protocolares inerentes à situação de ‘legionella’ detetada, procedimentos estes que incluem desinfeções com água quente”.

Indica a responsável do agrupamento que “as duas contra-análises feitas deram [resultado] negativo” e que o resultado da terceira “previsivelmente, será disponibilizado ainda durante esta semana”.

“Se assim acontecer, os balneários funcionarão em pleno na próxima semana”, acrescenta.

Desde o início do segundo período, a 03 de janeiro, os rapazes têm disponíveis os “balneários 1 e 2 enquanto as meninas podem usar os balneários 5, 6 e 7”, com a recomendação de que “não podem usar os chuveiros de água quente”.

A 13 de dezembro, em resposta à Lusa, a Parque Escolar informou que no dia anterior, “no âmbito do plano de manutenção e conservação preventiva da Escola Secundária de Gondomar, foram recolhidas amostras, tendo sido registada a presença da bactéria ‘legionella’ SPP, num chuveiro do balneário feminino e num chuveiro do balneário masculino”.

A Lusa tentou obter uma atualização da parte da Parque Escolar, mas até ao momento não foi possível.

A doença do legionário, provocada pela bactéria ‘Legionella pneumophila’, contrai-se por inalação de gotículas de vapor de água contaminada (aerossóis) de dimensões tão pequenas que transportam a bactéria para os pulmões, depositando-a nos alvéolos pulmonares.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Guadalupe Simões: Quantidade de atos “não se traduz em acompanhamento com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”

Esta sexta-feira, Guadalupe Simões, dirigente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, criticou a escolha do Governo de pagar pela quantidade de atos. “Quando o Governo diz que dá incentivos ou que dá suplementos financeiros se fizerem mais intervenções cirúrgicas, se tiverem mais doentes nas listas, se operarem mais doentes no âmbito dos programas do SIGIC, se, se, se, está sempre a falar de quantidade de atos, que não se traduz em acompanhamento das pessoas com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”, explicou ao HealthNews.

Guadalupe Simões: “Reunião apenas serviu para o Ministério da Saúde promover essa chantagem tentando que nós suspendêssemos a greve”

A reunião entre o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) e o Ministério da Saúde “correu muito mal”. Na quinta-feira, “o Ministério da Saúde procurou chantagear o sindicato dizendo que só negociava se a greve fosse suspensa”, contou ao HealthNews Guadalupe Simões, dirigente do SEP, que, por esse motivo, pelos enfermeiros, pelos doentes e pelo SNS, espera que haja uma forte adesão à greve nacional de 2 de agosto.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights