Peça de teatro que sensibiliza para o luto estreia sábado

4 de Abril 2024

A Compassio (Associação para a Construção de Comunidades Compassivas) promove, no Porto, entre 6 e 13 de abril, a peça de teatro “Tal como foi o silêncio - [do luto e das luzes]”.

“Tal como foi o silêncio – [do luto e das luzes]” parte de um texto original de Ondjaki, poeta e escritor angolano, e vai a palco pela interpretação da atriz Daniela Vieitas. Com encenação de Lígia Roque, cenografia e figurinos de Ana Limpinho e música de António-Pedro. Com duração de 45 minutos, a peça parte da história da procura de um espaço onde possa acontecer uma reunião de pessoas que querem falar da perda e do luto. No final, haverá uma conversa informal com o público relativamente à peça e ao luto.

Desde 2019 que a Compassio dinamiza Death cafes, para quebrar o tabu da morte, e workshops para dar voz ao luto pessoal e para promover um acolhimento mais compassivo do luto na comunidade. Facilita também grupos comunitários de partilha e retiros não religiosos, iniciativas dirigidas a pessoas que vivenciam um processo de luto, e que visam criar espaços de escuta, partilha, interioridade, paz e sanação, onde já participaram cerca de 60 pessoas.

O escritor Ondjaki inspirou-se numa das reuniões dos grupos de partilha da Compassio para a escrita da peça.

Mariana Abranches Pinto, presidente da direção da associação, afirmou: “A peça de teatro pretende refletir sobre este tema, que ainda é um tabu na nossa sociedade, e criar oportunidades de conversas sobre os lutos pessoais e como, em comunidade, acolhemos essas perdas. É tão importante falar do luto!”

A peça tem estreia marcada para este sábado, dia 6, no salão da Junta de Freguesia de Ramalde, com sessões às 11h10 e às 16h10. No total, vão acontecer seis apresentações, e a entrada é gratuita, mas de reserva obrigatória (https://forms.gle/Z5b291R1cUbNBFnT8).

A peça tem o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian, Junta de Freguesia de Ramalde, Fundação Cepsa e Universidade Católica Portuguesa.

PR/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Prémio de Investigação Noémia Afonso recebe trabalhos até 31 de julho

O Prémio de Investigação Noémia Afonso, promovido pela Sociedade Portuguesa de Senologia (SPS), anunciou a extensão do prazo de envio dos trabalhos até 31 de julho de 2024. A iniciativa tem como objetivo incentivar a cultura científica e fomentar a investigação clínica na área do cancro da mama.

Guadalupe Simões: Quantidade de atos “não se traduz em acompanhamento com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”

Esta sexta-feira, Guadalupe Simões, dirigente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, criticou a escolha do Governo de pagar pela quantidade de atos. “Quando o Governo diz que dá incentivos ou que dá suplementos financeiros se fizerem mais intervenções cirúrgicas, se tiverem mais doentes nas listas, se operarem mais doentes no âmbito dos programas do SIGIC, se, se, se, está sempre a falar de quantidade de atos, que não se traduz em acompanhamento das pessoas com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”, explicou ao HealthNews.

Guadalupe Simões: “Reunião apenas serviu para o Ministério da Saúde promover essa chantagem tentando que nós suspendêssemos a greve”

A reunião entre o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) e o Ministério da Saúde “correu muito mal”. Na quinta-feira, “o Ministério da Saúde procurou chantagear o sindicato dizendo que só negociava se a greve fosse suspensa”, contou ao HealthNews Guadalupe Simões, dirigente do SEP, que, por esse motivo, pelos enfermeiros, pelos doentes e pelo SNS, espera que haja uma forte adesão à greve nacional de 2 de agosto.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights