Jovens farmacêuticos debatem futuro da UE com candidatos ao Parlamento Europeu

16 de Maio 2024

A Associação Portuguesa de Jovens Farmacêuticos (APJF) vai reunir os candidatos ao Parlamento Europeu para debater o futuro da União Europeia (UE), “naquilo que se espera ser uma plataforma de partilha das principais ideias e propostas dos diferentes partidos políticos”, diz a organização. A conferência “O Futuro do Projeto Europeu” está marcada para o próximo dia 20 de maio, em formato virtual, pelas 17h30.

Dirigida a todos, independentemente da idade ou da área de formação ou atuação profissional, esta iniciativa assume-se como uma ação para a promoção da cidadania europeia, com o objetivo de consciencializar para uma democracia mais participada e para a importância da UE e das instituições europeias no dia a dia de todos os cidadãos.

“Somos a primeira geração que nasceu e viveu toda a sua vida enquanto cidadãos europeus. Crescemos na Europa e beneficiamos de um forte desenvolvimento económico e social, que importa assinalar”, refere Duarte Pinto, vogal da direção da APJF responsável pela área internacional. “Viver a Europa significa que assumimos a responsabilidade de conhecer e eleger os nossos representantes”.

O evento vai contar ainda com uma conferência inicial dedicada aos contemporâneos da União Europeia nos próximos anos. No final, está prevista a apresentação do Projeto “EY2H — European Youth to Health”, uma iniciativa criada pela APJF que visa capacitar os jovens profissionais de saúde para o envolvimento e participação ativa na definição de políticas públicas da UE que respondam aos desafios da área da saúde e do desenvolvimento económico, social e ambiental.

A inscrição é gratuita, mas obrigatória, e pode ser feita aqui. O evento é aberto e dirigido a todos os cidadãos, mas particularmente a profissionais de saúde. Saiba mais informações aqui.

PR/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Luís Meira diz que Força Aérea não tinha meios para ajudar INEM

O presidente demissionário do INEM revelou hoje que quando o instituto foi forçado a reduzir o serviço de helicópteros durante a noite, no início do ano, contactou a Força Aérea, que disse não ter meios para poder garantir a resposta necessária.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights