Europeias: Catarina Martins diz que problema do plano de saúde “é que é fraquinho”

2 de Junho 2024

A candidata do BE às eleições europeias desvalorizou hoje a polémica sobre o envolvimento de uma consultora privada na elaboração do plano de emergência para a saúde do Governo, considerando que o verdadeiro problema “é que é fraquinho”

“O pior problema é que o plano é mau. Eu acho mesmo que essa é mesmo a grande questão. Contratando ou não contratando, o Governo fez um mau plano e pelos vistos a empresa privada que contratou foi copiar o que já tinha feito o governo do PS. É fraquinho”, considerou Catarina Martins.

A bloquista falava aos jornalistas à margem de uma ação de campanha na Quinta das Conchas, em Lisboa, altura em que foi questionada sobre a pergunta lançada no sábado à noite pelo secretário-geral do Partido Socialista, que questionou o Governo sobre se alguma empresa privada na área da consultoria esteve envolvida na elaboração do plano de emergência para a saúde.

Numa nota enviada à Lusa, o Governo admitiu ter contratado uma consultora privada para “organizar e estruturar” o trabalho da ‘task force’ responsável pelo Plano de Emergência da Saúde, sublinhando que a empresa tem trabalhado com o Ministério da Saúde “nos últimos anos”.

Catarina Martins desvalorizou o tema, defendendo que “as campanhas podem ser sobre picardias vazias ou podem ser sobre o fundamental”, lembrando que estava numa ação de campanha sobre a defesa dos direitos das trabalhadoras domésticas.

Sobre saúde, a bloquista insistiu na necessidade de investimento nas carreiras dos profissionais de saúde.

“Tudo o resto é o PSD a copiar o PS e a fazer o que já não resulta. Já ninguém quer saber, as pessoas querem mesmo soluções”, acrescentou.

NR/HN/Lusa

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Luís Meira diz que Força Aérea não tinha meios para ajudar INEM

O presidente demissionário do INEM revelou hoje que quando o instituto foi forçado a reduzir o serviço de helicópteros durante a noite, no início do ano, contactou a Força Aérea, que disse não ter meios para poder garantir a resposta necessária.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights