Coligação de associações europeias elabora em Odivelas plano estratégico para a obesidade

13 de Junho 2024

A Coligação Europeia de Pessoas que Vivem com Obesidade, que agrupa várias associações, reúne-se a partir de hoje, em Odivelas, para elaborar um plano estratégico que defende o reconhecimento da obesidade como doença crónica em toda a Europa.

O plano, com vigência para os próximos cinco anos, deverá sair da reunião de Odivelas, que termina no sábado.

À Lusa, o vice-presidente da organização, Carlos Oliveira, disse que o plano estratégico será norteado por dois princípios: reconhecer a obesidade como doença crónica em todos os países europeus e ajudar a criação de associações em países onde não existam.

Segundo Carlos Oliveira, que também preside à Associação Portuguesa de Pessoas que Vivem com Obesidade, com sede em Odivelas, Portugal foi o primeiro país da Europa a reconhecer a obesidade como doença crónica, há 20 anos.

Criada em 2019, a Coligação Europeia de Pessoas que Vivem com Obesidade agrupa associações de 35 países europeus, incluindo Portugal, dedicadas nomeadamente ao tratamento da obesidade e à investigação da doença.

NR/HN/Lusa

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Expansão do modelo ULS

Fernando Araújo é um dos autores de um artigo publicado na revista “Frontiers in Public Health”, em maio deste ano, que explica a história e perspetiva o futuro do modelo ULS.

Cérebro humano consegue distinguir vozes deepfake de vozes reais

Os nossos cérebros processam vozes naturais e vozes deepfake de forma diferente? Pesquisas realizadas na Universidade de Zurique indicam que sim. Num novo estudo, investigadores identificaram duas regiões cerebrais que respondem de maneira distinta a vozes naturais e a vozes deepfake.

Solidão e problemas de saúde mental estão interligados

Os resultados de um estudo realizado por investigadores da Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia (NTNU), da Universidade de Oslo, da UiT Universidade do Ártico da Noruega, da OsloMet, do Hospital Universitário de Oslo e do Hospital Innlandet e publicados na BJPsych Open, mostram que pessoas solitárias têm maior probabilidade de tomar medicação para depressão, psicose e outros distúrbios mentais.

Pressão arterial elevada associada a pior cognição em adolescentes

Adolescentes com pressão arterial elevada e rigidez arterial podem experienciar funções cognitivas mais fracas, de acordo com um estudo recente finlandês realizado por investigadores das universidades de Jyväskylä e de Eastern Finland, ambas na Finlândia.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights