ENSP NOVA e NTT DATA estabelecem parceria para potenciar a inovação em saúde

13 de Junho 2024

A Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade NOVA de Lisboa (ENSP NOVA) e a consultora global de negócio e tecnologia NTT DATA fornalizaram esta quarta-feira um protocolo de colaboração que vai permitir impulsionar a formação avançada, o desenvolvimento de investigação e projetos de inovação na área da saúde. O objetivo é promover avanços significativos no setor.

Além de fortalecer as boas relações já existentes entre a ENSP NOVA e a NTT DATA, esta parceria vem contribuir para a partilha de conhecimentos e o desenvolvimento de projetos conjuntos em áreas como inteligência artificial, análise de dados e cibersegurança, com foco na saúde.

“A inovação em saúde é um processo contínuo e cada vez mais rápido por imposição da transformação digital. O protocolo que agora estabelecemos tem como objetivo acrescentar valor à formação dos alunos da ENSP NOVA. Na NTT DATA, acreditamos no potencial da inteligência artificial e da análise de dados para modernizar os sistemas de saúde e otimizar resultados. Este protocolo contempla ainda o desenvolvimento de estágios, projetos de investigação aplicada e oportunidades de mentoria para os estudantes, bem como a criação de produtos de ensino conjuntos que atendam às necessidades do mercado e soluções de negócio que aumentem a articulação com a comunidade, nomeadamente em iniciativas de saúde pública”, afirma Ricardo Constantino, partner e head of Public Sector & Health da NTT DATA Portugal.

“Este protocolo é também reflexo do nosso empenho em colaborar com as instituições académicas para aumentar o talento digital em Portugal”, conclui o responsável.

Para Sónia Dias, diretora da ENSP NOVA, “esta parceria representa um marco significativo para a nossa Escola, reforçando o nosso compromisso com a inovação digital e a ciência de dados no setor da saúde. Na ENSP NOVA, estamos empenhados em desenvolver respostas eficazes para os desafios emergentes da saúde pública, procurando construir um futuro sustentável no qual a saúde e os sistemas de saúde promovam uma cultura de inovação, adaptabilidade, longevidade e inclusão”.

PR/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Expansão do modelo ULS

Fernando Araújo é um dos autores de um artigo publicado na revista “Frontiers in Public Health”, em maio deste ano, que explica a história e perspetiva o futuro do modelo ULS.

Cérebro humano consegue distinguir vozes deepfake de vozes reais

Os nossos cérebros processam vozes naturais e vozes deepfake de forma diferente? Pesquisas realizadas na Universidade de Zurique indicam que sim. Num novo estudo, investigadores identificaram duas regiões cerebrais que respondem de maneira distinta a vozes naturais e a vozes deepfake.

Solidão e problemas de saúde mental estão interligados

Os resultados de um estudo realizado por investigadores da Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia (NTNU), da Universidade de Oslo, da UiT Universidade do Ártico da Noruega, da OsloMet, do Hospital Universitário de Oslo e do Hospital Innlandet e publicados na BJPsych Open, mostram que pessoas solitárias têm maior probabilidade de tomar medicação para depressão, psicose e outros distúrbios mentais.

Pressão arterial elevada associada a pior cognição em adolescentes

Adolescentes com pressão arterial elevada e rigidez arterial podem experienciar funções cognitivas mais fracas, de acordo com um estudo recente finlandês realizado por investigadores das universidades de Jyväskylä e de Eastern Finland, ambas na Finlândia.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights