Hospital de Ponta Delgada realizou mais de 12.600 consultas desde o incêndio

15 de Junho 2024

O Hospital do Divino Espírito Santo (HDES), em Ponta Delgada, realizou desde 04 de maio, dia em que foi afetado por um incêndio, até hoje 12.661 consultas, com uma melhoria na média diária, que é atualmente de 325 consultas.

Na semana passada a média diária de consultas era de 291.

De acordo com uma nota de imprensa do maior hospital dos Açores, estão internados nas várias unidades 178 utentes e até quinta-feira foram concedidas 1.092 altas, excetuando as 93 altas precoces concedidas em 04 de maio.

O incêndio, que deixou o hospital inoperacional, deflagrou pelas 09:40 locais (10:40 em Lisboa) e só foi declarado extinto às 16:11. Obrigou à transferência de todos os doentes que estavam internados para vários locais dos Açores, Madeira e continente.

Os serviços têm sido retomados progressivamente.

Ainda de acordo com os dados revelados hoje, o HDES realizou 302 cirurgias neste período, das quais 169 correspondem a cirurgias urgentes, sendo a média diária de atendimentos urgentes de 304 utentes.

A partir de segunda-feira, a atividade ambulatória de Pediatria regressa ao hospital, compreendendo consultas de Pediatria Geral, Desenvolvimento, Cardiologia com ecodoppler, Neonatologia, Doenças Hereditárias do Metabolismo, Gastrenterologia Pediátrica, Nefrologia Pediátrica, Reumatologia Pediátrica, Psicologia, Pedopsiquiatria e também a Consulta do Adolescente.

A atividade ambulatória compreende ainda consultas de Reabilitação Pediátrica, Imunoalergologia Pediátrica, Endocrinologia Pediátrica e Nutrição Pediátrica.

O Hospital de Dia de Pediatria irá, entretanto, “retomar o seu funcionamento, de acordo com o seu esquema normal, em que os agendamentos são geridos diretamente entre o serviço e os utentes”.

Na segunda-feira “serão igualmente retomadas as consultas de Endocrinologia e Nutrição de acordo com o agendamento previamente definido”, sendo que na mesma data será desativada a linha de apoio psicológico, devendo os utentes passar a realizar o contacto através do número geral do HDES (296203000).

Segundo informação anteriormente divulgada pelo estabelecimento, desde 03 de junho que a rede elétrica “está totalmente reestabelecida”, estando “ligada à rede pública por três postos de transformação”.

Trata-se de “uma situação provisória” até que o posto de transformação principal seja reconstruído, mas a solução “garante níveis de capacidade superiores aos instalados antes do incêndio”.

Continuam os trabalhos de limpeza e arejamento na unidade de saúde e estão a ser testados todos os quadros elétricos internos.

O incêndio na maior unidade de saúde dos Açores está em investigação, mas terá tido origem num quadro elétrico que, segundo a administração, tinha as vistorias em dia.

O Governo dos Açores (PSD/CDS-PP/PPM) já aprovou alterações ao contrato-programa com o HDES para acomodar os prejuízos, avaliados em 24 milhões de euros.

NR/HN/Lusa

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Expansão do modelo ULS

Fernando Araújo é um dos autores de um artigo publicado na revista “Frontiers in Public Health”, em maio deste ano, que explica a história e perspetiva o futuro do modelo ULS.

Cérebro humano consegue distinguir vozes deepfake de vozes reais

Os nossos cérebros processam vozes naturais e vozes deepfake de forma diferente? Pesquisas realizadas na Universidade de Zurique indicam que sim. Num novo estudo, investigadores identificaram duas regiões cerebrais que respondem de maneira distinta a vozes naturais e a vozes deepfake.

Solidão e problemas de saúde mental estão interligados

Os resultados de um estudo realizado por investigadores da Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia (NTNU), da Universidade de Oslo, da UiT Universidade do Ártico da Noruega, da OsloMet, do Hospital Universitário de Oslo e do Hospital Innlandet e publicados na BJPsych Open, mostram que pessoas solitárias têm maior probabilidade de tomar medicação para depressão, psicose e outros distúrbios mentais.

Pressão arterial elevada associada a pior cognição em adolescentes

Adolescentes com pressão arterial elevada e rigidez arterial podem experienciar funções cognitivas mais fracas, de acordo com um estudo recente finlandês realizado por investigadores das universidades de Jyväskylä e de Eastern Finland, ambas na Finlândia.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights