Câmara de Montalegre cria incentivos para fixar médicos no concelho

19 de Junho 2024

A Câmara de Montalegre vai criar um pacote de medidas para fixar médicos no concelho que inclui habitação, pagamento de despesas como energia, água e Internet e entrada gratuita em serviços e equipamentos municipais, foi anunciado.

A presidente da autarquia, Fátima Fernandes, disse, citada em comunicado, estar muito apreensiva com a mudança em curso que pode trazer a Montalegre “um enorme problema numa área vital para os cidadãos – a saúde”.

É que, justificou, cinco dos sete médicos da Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP) de Montalegre podem “dar entrada com o pedido de reforma”, o que, a acontecer, poderá originar um “problema de falta de cobertura de médico de família no município”.

“Estamos perante uma questão complexa que abrande todo o país, principalmente os concelhos do Interior, que o Governo central não está a conseguir solucionar, o que obriga os municípios a agir por forma a garantir os interesses dos seus concidadãos, uma vez que o problema se relaciona com as motivações que influenciam a escolha do local de trabalho dos jovens profissionais médicos”, afirmou Fátima Fernandes.

Assim, para garantir os cuidados de saúde primários aos cidadãos, o município anunciou a criação de um pacote de incentivos para atrair e fixar médicos.

E especificou que as medidas planeadas incluem habitação disponibilizada pela autarquia, com pagamento das despesas com o consumo de energia, água e Internet, um incentivo mensal e entrada gratuita em todos os serviços e equipamentos municipais, nomeadamente piscina, ginásio e museus.

O pacote agora anunciado terá a duração de três anos, podendo ser prolongado e indexado à constituição e manutenção de uma Unidade de Saúde Familiar (USF), modelo B, um modelo organizacional dos cuidados de saúde primários.

O anúncio foi feito após uma reunião entre o município, a Unidade Local de Saúde de Trás-os-Montes e Alto Douro, a equipa regional de apoio e acompanhamento da Administração Regional de Saúde (ARS) Norte e médicos especialistas em medicina geral e familiar do centro de Saúde de Montalegre, durante a qual foram analisadas condições para a fixação destes profissionais no concelho.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Sindicatos ouvidos na Comissão de Saúde alertam para “condições muito precárias” no SNS

Os sindicatos dos trabalhadores da saúde falam em “condições muito precárias” para doentes e profissionais. O problema no SNS não é só a carreira: chove dentro de gabinetes, há cadeiras rotas e computadores que não dão resposta. “Não houve investimento na tecnologia como deveria ser”, disse Joana Bordalo e Sá, presidente da FNAM, na Comissão de Saúde.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights