Enfermeiros de centros de saúde da região de Lisboa em greve a 04 de julho

19 de Junho 2024

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) convocou para 04 de julho uma greve visando os enfermeiros dos centros de saúde das Unidades Locais de Saúde de Amadora/Sintra, Estuário do Tejo, Loures-Odivelas, Santa Maria, São José e Lisboa Ocidental.

Os enfermeiros exigem melhores condições salariais e de carreira.

Segundo o pré-aviso hoje publicado na imprensa, a greve, convocada SEP decorre entre as 08:00 e as 24:00, abrange os turnos da manhã e tarde, mas inclui a prestação de serviços mínimos indispensáveis para ocorrer à satisfação de “necessidades sociais impreteríveis”.

Entre os objetivos da greve estão a “justa e legal contabilização dos pontos detidos para efeitos de progressão, nomeadamente os relativos aos biénios 2019-2020 e 2021-2022, a contabilização de 1,5 pontos entre 2004 e 2014 e o pagamento atualizado e dos devidos retroativos, desde 2018, decorrentes das mudanças de posição de carreira.

É ainda exigida a operacionalização do designado ‘acelerador de carreira’, a transição para a categoria de enfermeiro especialista de todas as enfermeiras que não transitaram, “pelo legítimo exercício do seu direito de parentalidade”, a vinculação efetiva de todos os que tenham vínculo precário e a contratação de mais enfermeiros, de acordo com as necessidades.

O anúncio desta greve surge um dia antes da reunião agendada com a ministra da Saúde para o início da negociação da alteração da grelha salarial e das questões de carreira.

Os enfermeiros estiveram em greve no passado dia 10 de maio, mas a nível nacional, numa paralisação também convocada pelo SEP para exigir o início do processo negocial com fixação de memorando de entendimento sobre as matérias a negociar (contagem de pontos, carreira de enfermagem e outros aspetos) e o respetivo calendário.

A greve de maio, que envolveu também uma concentração no Campo Pequeno, em Lisboa, teve uma adesão de 76,8%, segundo o SEP, sendo os efeitos mais visíveis nos blocos operatórios e nas consultas externas nos hospitais.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Expansão do modelo ULS

Fernando Araújo é um dos autores de um artigo publicado na revista “Frontiers in Public Health”, em maio deste ano, que explica a história e perspetiva o futuro do modelo ULS.

Cérebro humano consegue distinguir vozes deepfake de vozes reais

Os nossos cérebros processam vozes naturais e vozes deepfake de forma diferente? Pesquisas realizadas na Universidade de Zurique indicam que sim. Num novo estudo, investigadores identificaram duas regiões cerebrais que respondem de maneira distinta a vozes naturais e a vozes deepfake.

Solidão e problemas de saúde mental estão interligados

Os resultados de um estudo realizado por investigadores da Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia (NTNU), da Universidade de Oslo, da UiT Universidade do Ártico da Noruega, da OsloMet, do Hospital Universitário de Oslo e do Hospital Innlandet e publicados na BJPsych Open, mostram que pessoas solitárias têm maior probabilidade de tomar medicação para depressão, psicose e outros distúrbios mentais.

Pressão arterial elevada associada a pior cognição em adolescentes

Adolescentes com pressão arterial elevada e rigidez arterial podem experienciar funções cognitivas mais fracas, de acordo com um estudo recente finlandês realizado por investigadores das universidades de Jyväskylä e de Eastern Finland, ambas na Finlândia.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights