Hospital de Évora ganha especialidade de Cirurgia Maxilofacial

24 de Junho 2024

O Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE), integrado na Unidade Local de Saúde do Alentejo Central (ULSAC), conta, desde meados deste mês, com a especialidade de Cirurgia Maxilofacial na sua carteira de serviços, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a ULSAC explicou que a Cirurgia Maxilofacial é a especialidade que trata alterações que ocorrem nas estruturas da face, da cavidade oral e da região cervical, com o objetivo de reabilitar e preservar funções em conjunto com a reconstrução.

Segundo esta unidade local de saúde, o hospital alentejano conta agora com uma equipa de três cirurgiões “altamente qualificados”, os quais são oriundos da Unidade Local de Saúde de São José, em Lisboa.

Citada no comunicado, a diretora clínica do HESE, Luísa Rebocho, salientou que a introdução desta especialidade no hospital visa a “valorização da oferta de serviços da ULSAC” e dar resposta ao compromisso de “procurar a melhor oferta de cuidados à população do Alentejo”.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Expansão do modelo ULS

Fernando Araújo é um dos autores de um artigo publicado na revista “Frontiers in Public Health”, em maio deste ano, que explica a história e perspetiva o futuro do modelo ULS.

Cérebro humano consegue distinguir vozes deepfake de vozes reais

Os nossos cérebros processam vozes naturais e vozes deepfake de forma diferente? Pesquisas realizadas na Universidade de Zurique indicam que sim. Num novo estudo, investigadores identificaram duas regiões cerebrais que respondem de maneira distinta a vozes naturais e a vozes deepfake.

Solidão e problemas de saúde mental estão interligados

Os resultados de um estudo realizado por investigadores da Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia (NTNU), da Universidade de Oslo, da UiT Universidade do Ártico da Noruega, da OsloMet, do Hospital Universitário de Oslo e do Hospital Innlandet e publicados na BJPsych Open, mostram que pessoas solitárias têm maior probabilidade de tomar medicação para depressão, psicose e outros distúrbios mentais.

Pressão arterial elevada associada a pior cognição em adolescentes

Adolescentes com pressão arterial elevada e rigidez arterial podem experienciar funções cognitivas mais fracas, de acordo com um estudo recente finlandês realizado por investigadores das universidades de Jyväskylä e de Eastern Finland, ambas na Finlândia.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights