APDPróstata quer que homens mostrem “cartão vermelho ao cancro da próstata”

APDPróstata quer que homens mostrem “cartão vermelho ao cancro da próstata”

De acordo com a APDPróstata no ano passado foram diagnosticados cerca de sete mil novos casos em Portugal. Visando alertar a população, em especial os homens com mais de 45 anos, para a segunda principal causa de morte por cancro em homens acima dos 50 anos de idade, a APDP, em parceria com a APAF, APU, SPO e Astellas, vão promover uma ação que pretende “pôr o cancro da próstata fora de jogo”.

Esta iniciativa conta com o apoio da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF), da Associação Portuguesa de Urologia (APU), da Sociedade Portuguesa de Oncologia (SPO) e da Astellas Farma.

Para a APAF o conceito da ação de sensibilização, “relacionado com a atividade dos árbitros de futebol, passa a mensagem de uma forma simples e direta, pelo que esperamos alertar muitos homens para a importância de vigiar a sua saúde”.

A ação insere-se na campanha “Homens Bem Informados”, lançada este verão pela Astellas Farma, com o apoio da APDPróstata e da APU, tendo como objetivo promover um maior conhecimento e esclarecimento sobre o cancro da próstata mediante a disponibilização de conteúdo informativo nomeadamente a página de Facebook “Homens Bem Informados”.

O cancro da próstata consiste num tumor maligno que acontece quando algumas das células da próstata se reproduzem muito mais rápido do que o normal. Se não for tratado, as células deste cancro podem disseminar-se e invadir partes distantes do corpo, particularmente os ossos, produzindo tumores secundários. Esta é uma doença silenciosa, visto que nos estadios iniciais pode desenvolver-se sem apresentar sintomas.

PR/HN/Vaishaly Camões

Núcleo de Estudos de Geriatria lança campanha contra preconceitos na velhice

Núcleo de Estudos de Geriatria lança campanha contra preconceitos na velhice

A ação, denominada “Os Idosos são Valiosos”, vai ser dada a conhecer na véspera do Dia Mundial dos Avós e conta com a participação de 39 personalidades de diversos quadrantes da sociedade portuguesa e com a participação especial do Papa Francisco.

“A nossa espécie passou a viver muitos mais anos, a sociedade evoluiu. O conceito de que ser velho é ser doente e que a maioria dos velhos são doentes, dependentes e dementes, confirmou-se afinal como preconceito”, refere no comunicado o coordenador do NEGERMI, João Gorjão Clara.

“Os velhos de hoje são, na maioria, autónomos, sem compromisso cognitivo e sentem-se saudáveis”, acrescenta.

Marcelo Rebelo de Sousa, Adriano Moreira, Eunice Munhoz, José Jorge Letria, Rui de Carvalho, Rui Nabeiro e Simone de Oliveira são algumas das figuras de renome que aceitaram dar o seu testemunho.

“A ideia chave, a ideia força desta campanha é valorizar o papel daqueles que mais experiência têm, que mais deram e receberam ao longo das suas vidas e que não podem ser esquecidos. Antes, devem ser valorizados”, frisa o Presidente da República para a campanha.

O médico geriatra João Gorjão Clara diz na nota que “o envelhecimento populacional provocou algumas perturbações nas sociedades ditas evoluídas”.

Os idosos, continua, são “ignorados nas qualidades e conhecimentos com que uma longa vida os enriqueceu”, sendo marginalizados e até “violentados física e psicologicamente pela sociedade e muitas vezes pelos familiares”.

“Com esta iniciativa pretendemos também demonstrar que a especialidade de Geriatria não se limita apenas à intervenção na prevenção e tratamento das doenças, mas tem também o dever de se preocupar com o reconhecimento dos direitos, a defesa do bem-estar e da qualidade de vida dos idosos”, conclui Gorjão Clara.

A campanha será divulgada na RTP, na Rádio Renascença e nas redes sociais da SPMI.

LUSA/HN

Almeida vai promover campanha com conselhos para emigrantes

Almeida vai promover campanha com conselhos para emigrantes

“Nós fazemos as mesmas campanhas que temos feito em todas as épocas festivas. Não é colocar meios na rua, mas sim fazer comunicação em termos de informação, através das Freguesias. Fazemos essa campanha de informação para chegarmos às pessoas com os cuidados que é necessário ter”, disse esta segunda-feira à agência Lusa o presidente do município de Almeida, António José Machado.

Segundo o autarca, a campanha começa este mês e prolonga-se pelo mês de agosto quando, por tradição, a presença de emigrantes no território será mais notória.

A ação municipal também inclui a publicação de editais e de mensagens nas redes sociais do município de Almeida, situado no distrito da Guarda, junto da fronteira com Espanha.

“As pessoas são bem-vindas, mas têm de tomar as devidas precauções, porque a [nova] variante pode trazer questões novas, que não estávamos a contar. É preocupante a situação com o número de casos que está a acontecer em Lisboa. Na nossa zona, a vacinação está a correr muito bem, mas [se não houver cautelas] podemos estragar, principalmente nas camadas mais jovens, aquilo que se tem vindo a conseguir”, afirmou.

António José Machado também referiu que nos meses de verão espera um aumento de visitantes no território e, por isso, “é preciso manter o alerta durante mais algum tempo”, até que se verifiquem cenários “mais tranquilos” em relação à pandemia.

“Sem dúvida que o regresso, quer dos emigrantes, quer daqueles que estão em Portugal, e estão [a residir] em Lisboa, Porto e nas grandes cidades onde têm emprego, ajuda à economia local”, disse.

Nos meses de verão, “a vida nos estabelecimentos locais aumenta consideravelmente” e a sua presença “é importante” em termos económicos, rematou o autarca do município de Almeida, onde se situa a fronteira de Vilar Formoso.

A pandemia de Covid-19 provocou pelo menos 3.974.841 mortos em todo o mundo, resultantes de mais de 183,4 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente feito pela agência France Presse.

Em Portugal, desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram 17.112 pessoas e foram registados 889.088 casos de infeção, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, a Índia ou a África do Sul.

LUSA/HN

PSP, GNR e ANSR lançam campanha de sensibilização sobre riscos da condução sob a influência do álcool

PSP, GNR e ANSR lançam campanha de sensibilização sobre riscos da condução sob a influência do álcool

A decorrer até 12 de julho, “a campanha tem como objetivo alertar os condutores para os riscos da condução sob a influência do álcool”, segundo um comunicado da PSP enviado à Lusa.

“Um em cada quatro condutores mortos em acidentes de viação apresenta uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 0,5 g/l, e destes condutores três em cada quatro apresentam uma taxa igual ou superior a 1,2 g/l”, acrescenta.

Esta ação, enquadrada no Plano Estratégico Nacional de Segurança Rodoviária 2020, pretende incentivar a adoção de comportamentos seguros na estrada.

A PSP esclarece que o Plano Nacional de Fiscalização prevê a realização de campanhas de sensibilização em simultâneo com operações de fiscalização em locais onde ocorrem regularmente infrações que representam um risco acrescido para a ocorrência de acidentes.

A ANSR, a PSP e a GNR sublinham que a condução sob a influência do álcool é um risco para a segurança de todos, porque “com uma taxa de álcool no sangue de 0,5 g/l o risco de sofrer um acidente mortal duplica” e “os acidentes que decorrem da condução sob a influência do álcool são particularmente graves”.

LUSA/HN

Farmácias lançam campanha de sensibilização sobre cuidados a ter no desconfinamento

Farmácias lançam campanha de sensibilização sobre cuidados a ter no desconfinamento

A campanha que decorre de norte a sul do país e abrange 1200 farmácias, visa alertar para a importância de “tomar as devidas precauções aquando do regresso à circulação ao ar livre”. As farmácias sublinham que com o desconfinamento os portugueses estão mais expostos aos níveis de pólen e outros alergénicos, bem como a incidência de mosquitos e outros insetos causadores de diversas patologias.

Por este motivo a iniciativa “Regresse em segurança, mantenha-se protegido dos mosquitos” pretende destacar a importância da proteção e prevenção, não apenas contra a pandemia, mas contra as alergias e patologias associadas à exposição solar, ambiental e picadas de mosquitos.

De acordo com a Cooprofar –Cooperativa dos Proprietários de Farmácia “as ‘simples’ picadas de mosquitos podem causar diferentes tipos de reações e disseminar diversas doenças.”

A campanha relembra ainda o Farmacêutico enquanto profissional perfeitamente capacitado para aconselhar a melhor forma de prevenir e combater qualquer problema associado às alergias e às picadas de insetos tão comuns e a Farmácia enquanto local privilegiado para obter apoio e assistência neste e noutros assuntos, pela sua proximidade e constante disponibilidade junto da população.

PR/HN/Vaishaly Camões