África com mais 283 mortes e 4.273 infetados nas últimas 24 horas

23 de Outubro 2021

África registou 283 mortes associadas à covid-19 nas últimas 24 horas, elevando para 216.679 o total de óbitos desde o início da pandemia, e 4.273 novos contágios, de acordo com os dados oficiais mais recentes

Segundo o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o total acumulado de casos de infeção no continente desde o início da pandemia é agora de 8.459.470 e o de recuperados é de 7.842.287, mais 5.427 nas últimas 24 horas.

A África Austral continua a ser a região mais afetada do continente, com 3.918.984 casos e 110.964 óbitos associados à covid-19.

Nesta região, encontra-se o país mais atingido pela pandemia, a África do Sul, que contabiliza 2.918.883 casos e 88.891 mortes.

O Norte de África, que sucede à África Austral nos números da covid-19, atingiu hoje 2.575.086 contágios pelo vírus SARS-CoV-2 e 69.652 mortes associadas à covid-19.

A África Oriental contabiliza 1.045.354 infeções e 22.541 mortos, e a região da África Ocidental regista 659118 casos de infeção e 9.879 mortes. A África Central é a que tem menos casos de infeção e de mortes, 260.928 e 3.644 respetivamente.

A Tunísia, o segundo país africano com mais vítimas mortais a seguir à África do Sul, regista 25.132 mortes e 711.397 infetados (o mesmo número de sexta-feira), seguindo-se o Egito, com 18.195 óbitos e 322.852 casos, e Marrocos, com 943.652 contágios, mas menos mortes do que os dois países anteriores, 14.600 óbitos associados à doença.

Entre os países mais afetados estão também a Etiópia, com 6.329 vítimas mortais e 361.427 infeções, a Argélia, com 5.883 óbitos e 205.683 pessoas infetadas, e o Quénia, com 5.249 mortes associadas à doença e 252.423 contágios acumulados.

Em relação aos países de língua oficial portuguesa, Moçambique contabiliza 1.927 mortes associadas à doença e 151.195 infetados acumulados desde o início da pandemia, seguindo-se Angola (1.693 óbitos e 63.691 casos), Cabo Verde (348 mortes e 38.108 infeções), Guiné Equatorial (163 óbitos e 13.097 casos), Guiné-Bissau (141 mortos e 6.131 infetados) e São Tomé e Príncipe (56 óbitos e 3.961 infeções).

O primeiro caso de covid-19 em África surgiu no Egito, em 14 de fevereiro de 2020, e a Nigéria foi o primeiro país da África subsaariana a registar casos de infeção, em 28 de fevereiro.

A covid-19 provocou pelo menos 4.926.579 mortes em todo o mundo, entre mais de 242,39 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse (AFP), divulgado sexta-feira.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

NR/HN/LUSA

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Guilherme Veríssimo: “A saúde começa pela boca”

A evidência científica comprova que a má saúde oral está diretamente relacionada com 23 doenças sistémicas, entre elas a diabetes e as doenças cardiovasculares, e cinco tipos de cancro. Esta realidade pode surpreender a maior parte da população, mas não os dentistas. Em entrevista ao nosso jornal, o Médico Dentista, Guilherme Veríssimo, frisa que a “saúde oral não se resume a uma questão estética”, deixando alguns alertas para a importância da correta higienização dos dentes. O médico dentista aproveitou ainda para desmistificar alguns dos principais mitos associados à doença peridontal.

INEM esclarece que chamadas via 112 são descentralizadas

O INEM esclareceu que as chamadas que dão entrada via 112 para o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) são descentralizadas, avançando que hoje de manhã estavam ao serviço 48 técnicos, 24 dos quais em atendimento.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights